Ciclo de palestras ensina a sair do vermelho e economizar
Publicado em 19/06/2013

Vitrine Empresarial

Foto: -

Ação preventiva atraiu consumidores de Bagé

Como planejar os gastos e chegar ao fim do mês sem dívidas? Como ter qualidade de vida sem virar um devedor? A palestra “Aprenda a administrar e economizar o seu dinheiro” respondeu essas e outras perguntas na tarde de ontem. A defensora pública federal Patrícia Ubal Przybylski Blumenkrantz e o economista Franciel Jean Lucca abriram, em Bagé, o ciclo de palestras do projeto Educação Financeira, da Defensoria Pública da União.
A defensora explica que o objetivo é prevenir possíveis conflitos judiciais, esclarecendo à população de Bagé sobre o mercado de consumo. Lucca observa que é crescente o número de consumidores endividados. Do ano passado para cá, o crédito consignado puxou essa tendência e o endividamento dobrou, segundo dados da Confederação Nacional do Comércio. “É um financiamento fácil e rápido, que pode embutir juros abusivos”, complementa Patrícia.
A autônoma Maria Helena Netto foi uma das participantes da palestra de ontem. “Vim para aprender a administrar o meu dinheiro. Hoje em dia, está difícil. Não adianta a gente ganhar muito se não souber administrar”, comenta. Realmente ela tem razão. Lucca esclarece que existem pessoas endividadas em todas as classes sociais. Porém é possível reverter essa situação e impedir que um número maior de consumidores continue gastando mais do que ganha.

Orientações da Defensoria
A avaliação dos financiamentos de longo prazo é o primeiro passo para evitar o endividamento. Conforme o economista da Defensoria, as prestações habitacionais e de veículos nunca devem ultrapassar 20% da renda do trabalhador. Quem não tem estabilidade no emprego deve ser mais cauteloso, porque pode não conseguir pagar nos anos seguintes ao contrato.
Os participantes da palestra ganharam uma planilha, para aprender relacionar todos as receitas, como salário e aluguéis, por exemplo, bem como as despesas. “O importante é anotar tudo, não deixar nada de fora”, afirma Franciel Lucca. Quando é necessário cortar gastos, ele aconselha começar pelos gastos supérfluos, ficar com um único cartão de loja e um único cartão de crédito para uso consciente. Cancelar assinaturas, como de TV, pode ser uma das alternativas, assim como o vício do cigarro. As economias de água e energia elétrica são bem-vindas ao orçamento.

Grandes vilões do bolso
As datas comemorativas, os aniversários e os casamentos lideram a lista dos vilões do bolso. “Dar presente é importante, todo mundo gosta, mas a gente tem que ter muita prudência”, orienta Lucca. Esses gastos precisam ser incluídos no orçamento como imprevistos.
O cartão de crédito também aparece na lista, já que seus juros partem de 6% ao mês, enquanto os juros do cheque especial, dependendo do banco, pode ser de 4% ao mês.  
Quem não foi à palestra e gostaria de assistir, terá novas oportunidades. De acordo com Patrícia, a Defensoria vai promover um evento por mês. Os interessados devem ligar na semana das datas que serão anunciadas. A participação é limitada e gratuita.

Como reduzir os gastos com alimentação
A palestra oferece dicas que podem reduzir os gastos com alimentação em até 40%. Veja algumas:
- Não vá ao mercado com fome nem com pressa;
- Primeiro faça o cardápio para, pelo menos, duas semanas, antes de comprar;
- Faça pesquisas de preço e confira os panfletos. A mercearia da esquina pode ter um preço mais acessível;
- As crianças devem ficar em casa, porque elas são mais vulneráveis ao consumo.

Onde
Rua Mélanie Granier, 48
Fone: 3240-4100 

Deixe sua opinião