No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Cavalgada de São Sebastião renova tradição e religiosidade dos bageenses
Publicado em 21/01/2020

Geral

Foto: João A. M. Filho

Marcha remonta chegada da primeira imagem do santo ao município, há 205 anos

Após três dias de caravana, a marcha que carrega a imagem do padroeiro de Bagé retorna à Rainha da Fronteira. A 16ª edição da tradicional Cavalgada de São Sebastião percorreu cerca de 45 quilômetros entre Torquato Severo, distrito de Dom Pedrito, para Bagé. Cerca de 60 cavalarianos escoltaram a imagem do santo.

À frente da marcha, o comerciante João Carlos Pinheiro, 71 anos, participante há mais de 34 anos da cavalgada, carregava consigo a responsabilidade de levar a imagem do padroeiro de Bagé nos braços. Com mais de 30 mil quilômetros de participação em marchas ligadas ao tradicionalismo, Pinheiro foi um dos personagens entrevistados pela reportagem do jornal Folha do Sul, quando a cavalgada partiu de Bagé até a comunidade de São Sebastião. “É uma forma de trazer a fé mais para perto de nosso convívio e uma honra de poder contribuir”, frisou.

A marcha é um tributo histórico à data de 20 de janeiro de 1815, quando a imagem de São Sebastião foi levada da comunidade do interior de Dom Pedrito até o povoamento de Bagé, que havia sido criado um ano, seis meses e três dias, antes, segundo dados fornecidos pela paróquia de São Sebastião, lar que mantém a imagem original em seu acervo, há 205 anos.

A inclusão da Cavalgada de São Sebastião no calendário oficial do município marca a retomada de uma tradição histórica da cidade, proporcionada pelo hoje bispo emérito de Bagé, dom Gílio Felício. A recepção da imagem do padroeiro da Rainha da Fronteira coube ao atual bispo diocesano, Dom Cleonir Dalbosco, que participa pela segunda vez das atividades. “É uma forma de o gaúcho manifestar a religiosidade que acontece fora da igreja, o que ajuda a estreitar os laços com a comunidade”, comentou em entrevista ao Folha do Sul na sexta-feira. A recepção da imagem do padroeiro de Bagé aconteceu por volta das 19h, na paróquia de Nossa Senhora da Conceição.

Deixe sua opinião