Bagé alça voo no Dia do Gaúcho
Publicado em 20/09/2019

Editorial

No raiar do dia desta sexta-feira, Bagé alça voo para um futuro melhor e mais promissor. No início deste 20 de setembro de 2019, uma aeronave da companhia aérea TwoFlex parte do Aeroporto Comandante Gustavo Kraemer com destino a Porto Alegre. É a retomada dos voos comerciais entre a Rainha da Fronteira e a capital gaúcha. Em meados de 80, Bagé saiu da rota dos voos comerciais, contudo, agora marca história em retomar esse serviço em pleno Dia do Gaúcho.  Batalhas foram travadas no sentido de que a cidade polo da região voltasse ao radar dos empreendedores. Isso é um marco histórico de expectativas e confiança na retomada do crescimento econômico do município, pois encurta distância de forma considerável com Porto Alegre, o centro financeiro dos gaúchos. Aos empreendedores, a aviação oportuniza agilidade nos negócios, por isso, esse meio de transporte e indispensável para grandes empresários que têm intenção de investir no município e contam com tempo limitado para locomoção e outros inconvenientes. Por isso, a retomada dos voos significa uma das ferramentas mais importantes para potenciais investidores que têm interesse em Bagé e região. Isso no que tange o desenvolvimento econômico. Para pessoas que não sejam do meio empresarial, isso representa um ganho também, porque mexe com a concorrência e o transporte coletivo terrestre para se adequar aos novos desafios, pois começa a oferecer uma gama de ofertas e menor preço nas passagens. Quem não tem condição de viajar de avião também sai ganhando. Antes de qualquer crítica, é preciso ter conhecimento, olhos e mente abertos para reconhecer o quão importante é o momento que o município vive com a retomada dos voos. Além disso, em uma necessidade em caso de doença é outro exemplo da importância do transporte aéreo que encurta distância e o sofrimento para quem tem que enfrentar cerca de cinco horas de estrada até Porto Alegre. Portanto, em qualquer circunstância, é inquestionável a importância da aviação regional.

“É um marco histórico de expectativas e confiança"

 

Deixe sua opinião