Ação conjunta desarticula distribuição de drogas e celulares em presídios do Estado
Publicado em 08/07/2020

Segurança

Foto: Divulgação/FS

Agentes investigavam organização responsável por levar ilícitos para apenados

Na manhã dessa terça-feira, a Polícia Federal deflagrou a operação Pater com o objetivo de combater organização criminosa que introduzia drogas e telefones celulares na Penitenciária Modulada Estadual de Uruguaiana (PMEU).  A ação aconteceu, simultaneamente, nas cidades de Uruguaiana, Itaqui, Alegrete, Pelotas e Caçapava do Sul, com o cumprimento a 49 mandados de prisão e 38 de busca e apreensão. Participam da operação de hoje cerca de 230 policiais e agentes de segurança.

Em Uruguaiana, os agentes cumpriram 44 mandados de prisão e 34 de busca e apreensão. Na cidade de Itaqui, foram dois expedientes de prisão e outros dois de busca e apreensão. No município de Alegrete, um mandado de prisão e outro de busca e apreensão. Em Pelotas, também, um de prisão e outros de busca e apreensão. Ainda em Caçapava do Sul um investigado foi preso.

De acordo com o inquérito policial, integrantes do grupo criminoso investigado enviavam drogas e telefones celulares para o interior da PMEU, além de promover o tráfico de drogas em pontos da cidade. Há indícios, ainda, da prática de outros crimes como o contrabando e o tráfico de armas.

A ação contou com o apoio do Exército, Força Nacional da Brigada Militar, Polícia Civil, Polícia Rodoviária Federal, Susepe, Romu (Guarda Municipal de Uruguaiana) e Ministério Público Estadual.

O nome da operação

A escolha pelo nome Pater se dá em razão de que, inicialmente, alguns apenados eram abastecidos com drogas enviadas pelos pais, traficantes em atividade em Uruguaiana.

Deixe sua opinião