A novela da Visconde
Publicado em 09/12/2015

Editorial


As dificuldades para se conseguir que a avenida Visconde de Ribeiro Magalhães seja contemplada com uma ação efetiva de manutenção se alastram ano após ano.
Acontece que o trecho tem uma peculiaridade. Apesar de estar presente em uma área considerada urbana, o que acarretaria na responsabilidade do município para a execução de reformas, a via, na atualidade, cabe ao Estado. Um convênio com o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), firmado há mais de uma década e que encerra em 2016, obriga que o órgão intervenha, quando necessário, junto àquela malha rodoviária. O que, infelizmente, não vem sendo atendido conforme o exigido.
O município, por sua vez, mesmo ciente da demanda por uma revitalização, somente propiciou, até então, medidas paliativas, por meio dos tradicionais tapa-buracos. O que soluciona o problema a curto prazo, mas não evita que a pista garanta a segurança necessária.
Esta semana, perante a situação do trecho, o prefeito Dudu Colombo voltou a anunciar que encaminhará, ao Daer, uma solicitação para a revitalização da Visconde. Prometeu até reunião com os responsáveis pelo órgão para tentar sensibilizar para a atual precariedade da via.
Mas é preciso atentar que isso já ocorreu anteriormente, o que até foi publicado pela FOLHA do SUL. Para agora, quem aguarda por um trabalho efetivo na pista, precisará confiar que as opiniões dos diretores do Daer de fato mudaram – o que é difícil de se esperar perante a crise financeira dos cofres do Estado –, ou simplesmente esperar que o próprio Executivo, quando voltar a assumir o trecho, em 2016, faça a sua parte.

Deixe sua opinião