No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

"A família, como vai"?
Publicado em 10/08/2019

Opinião

De 11 a 17 de agosto, a Igreja do Brasil celebra a Semana Nacional da Família, com o tema: “A família, como vai?” A escolha desse tema tem um significado profundo, que é convidar a família à reflexão quanto a sua razão de ser, do anseio pela complementaridade e pela doação, que está inscrita no coração de cada ser humano. É nessa dinâmica de ser família, como Deus a pensou, que encontramos a realização do que é mais íntimo em nosso ser. “A família é o lugar privilegiado onde Deus manifesta seu amor, sua benevolência e seus dons para a salvação do mundo.” (Papa Francisco).
    O assessor nacional da Comissão Vida e Família da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Padre Jorge Alves Filho, nos diz: “A pergunta ‘A Família como vai?’ continua a ser também para a Igreja um desafio não só por causa da complexidade que responder a ela envolve, mas, principalmente porque também o mundo parece esperar a resposta para ajudá-lo a não ferir mais a própria família, que não deixou de ser a célula da sociedade”.
    O saudoso Papa João Paulo II, em seu pontificado, chamou a família de “Santuário da vida” (CF, 11). Santuário quer dizer “lugar sagrado”. É ali que a vida humana surge como que de uma nascente sagrada, e é cultivada e formada. É missão sagrada da família: guardar, revelar e comunicar ao mundo o amor e a vida. O Concílio Vaticano II já havia denominado a família de “a Igreja doméstica” (LG, 11), na qual Deus reside, é reconhecido, amado, adorado e servido; nele também foi ensinado que: “A salvação da pessoa e da sociedade humana estão intimamente ligadas à condição feliz da comunidade conjugal e familiar” (GS, 47).
    Desde que Deus desejou criar o homem e a mulher “à sua imagem e semelhança” (Gen 1,26), Ele os quis “em família”. Por isso, a família é uma realidade sagrada. Jesus começou sua missão redentora da humanidade na Família de Nazaré. A primeira realidade humana que Ele quis resgatar foi a família. Jesus habita com a família cristã. A presença do Senhor nas Bodas de Caná da Galileia significa que o Senhor “quer estar no meio da família”, ajudando-a a vencer todos os seus desafios. 
    O Papa Francisco também nos orienta neste sentido. Em seu pontificado, o Papa Francisco sempre faz questão de ressaltar a importância da família e sublinhar os valores que devem direcionar as relações familiares. Na Exortação Apostólica Pós-Sinodal Amoris Lætitia, nos diz o santo padre: “A família é chamada a compartilhar a oração diária, a leitura da palavra de Deus e a Comunhão Eucarística, para fazer crescer o amor e tornar-se cada vez mais um templo onde habita o Espírito” (AL  29); “A aliança de amor e fidelidade, vivida pela Sagrada Família de Nazaré, ilumina o princípio que dá forma a cada família e a torna capaz de enfrentar melhor as vicissitudes da vida e da história. Sobre este fundamento, cada família, mesmo na sua fragilidade, pode tornar-se uma luz na escuridão do mundo” (AL 66).
    Queridos e amados irmãos e irmãs, vamos amar e cuidar as nossas famílias. Com fé e confiança, pedimos: “Abençoa, Senhor, as famílias! Amém! Abençoa, Senhor, a minha também”. Paz e Bem!


 

Deixe sua opinião