À espera dos “gigantes”
Publicado em 06/11/2015

Editorial

Desde que foi confirmada a instalação da Usina Termelétrica Pampa Sul, da empresa Tractebel, em Candiota, no final do ano passado, as expectativas em torno do crescimento da região como um todo se proliferaram. E não é à toa. Até porque, a partir do empreendimento, não apenas recursos passariam a ser aplicados por aqui, bem como seria ampliada, exponencialmente, as possibilidades de vagas no mercado de trabalho local.
Pois bem. A obra começou e, mesmo agora, algumas dúvidas permanecem. Pensando nisso, uma articulação do vereador Caio Ferreira (PT) trouxe para Bagé, ontem, o engenheiro e gerente socioambiental da Usina Pampa Sul, Hugo Stamm. Ele se manifestou na Câmara, com o objetivo de esclarecer possíveis dúvidas, em especial dos parlamentares.
Da tribuna, o representante da empresa foi direto ao reforçar que a mão de obra a ser contratada, tanto pela Tractebel quanto pelas empresas terceirizadas, deve se focar em trabalhadores daqui. Lembrou que, para isso, vários cursos profissionalizantes vêm sendo desenvolvidos, alguns até mesmo já concluídos, para preparar os interessados da região para as vagas que serão abertas. “Dos mais de 400 já contratados, mais de 80% são do Rio Grande do Sul, sendo a maioria de Candiota, Hulha Negra, Bagé e Aceguá”, chegou a frisar na ocasião. A fala, apesar de já ter sido proferida anteriormente, de certo modo, tranquiliza, em especial os mais incrédulos.
Mas talvez o mais interessante do encontro tenha sido o anúncio feito a respeito do andamento da obra. A tão aguardada vinda dos grandes equipamentos, “os gigantes” que tanto chamaram a atenção quando da construção da Fase C da Usina Presidente Médici, também em Candiota, deve iniciar a partir de janeiro próximo. E, lógico, deste momento em diante é que a comunidade da região poderá vislumbrar, de uma maneira bem prática, que o movimento desencadeado por um empreendimento dessa magnitude causa, de fato, transformações.
Primeiro porque mobiliza grandes operações de logística para trazer as peças para a usina pelas rodovias gaúchas – o que é bem visível para todos. E, acima de tudo, por ser a partir disso que as contratações em massa começam. Como o próprio Stamm estimou, a montagem da caldeira da Pampa Sul, que é o procedimento mais amplo – por assim dizer –, deve iniciar em março de 2016. Ou seja, agora, todos ficam à espera dos “gigantes”.

Deixe sua opinião