Sete Homens e um Destino - The Magnificent Seven – EUA – (2016)
Publicado em 21/10/2016

Ricardo Beleza

E-mail:
Cidade: Bagé / RS
Jornalista e crítico de cinema
Ricardo Beleza

Foto: Reprodução/FS

Faroeste com ação e aventura dirigido por Antoine Fuqua

No velho oeste, sete pistoleiros se unem para defender um povoado da ação de bandidos chefiados por um milionário explorador. Essa é a refilmagem do clássico de mesmo nome lançado em 1960. Ambos são o remake do filme japonês Os Sete Samurais (1954) dirigido por Akira Kurosawa. As adaptações norte-americanas ambientaram a história do Japão feudal no oeste americano do século XIX e deixaram o roteiro do filme nos moldes de Hollywood. A nova produção que assisti esta semana no Cine 7 é bem melhor do que eu esperava. Sou um fã ardoroso do clássico de 1960, estrelado por: Steve McQueen, Yul Brynner, Eli Wallach, Charles Bronson e James Coburn no elenco principal. Por isso pensei que, por mais que o filme tivesse uma filmagem moderna e coisa e tal, nunca chegaria aos pés ou seria superior ao sucesso sessentista. E não chega, mas agrada os fãs do gênero western principalmente nas tomadas de ação que, por vezes, superam o anterior, inclusive notei que esse novo tem mais ação que o antigo. A fotografia é bem legal e as atuações de Denzel Washington, Chris Pratt e Ethan Hawke chefiando o elenco principal estão competentes. É claro que falta a trilha sonora de Elmer Bernstein, que só se ouve nos letreiros finais em alusão ao filme anterior. O diretor Antoine Fuqua traz de volta o velho bangue-bangue e dessa vez fazendo justiça, pois entre os mocinhos estão: um mexicano, um índio e um afrodescendente.  É bom lembrar que esses papéis, no passado, nunca eram dados a atores dessas etnias. Para finalizar,devo acrescentar que, além desse filme não ter os monstros sagrados dos filmes de ação de antigamente citados acima, ele também não tem o recurso CinemaScope do anterior,que consistia numa projeção panorâmica, onde era necessária uma tela maior do que a usada hoje e que dava um efeito muito legal, digamos que de liberdade e grandeza no caso dos westerns. Dedico a coluna de hoje ao amigo Reinaldo Vasques, que é um grande fã de faroestes. Um ótimo fim de semana e um grande abraço a todos.


Deixe sua opinião