No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Poder sem Limites (Chronicle, Reino Unido - EUA, 2012) 2574
Publicado em 21/12/2012

Ricardo Beleza

E-mail:
Cidade: Bagé / RS
Jornalista e crítico de cinema
Ricardo Beleza

Cinema

Falso documentário com altas doses de ficção científica, dirigido por Josh Trank, e roteirizado por Max Landis, filho do cineasta John Landis (The Blues Brothers).
A história fala de três rapazes da cidade de Seattle que entram em contato com uma “coisa estranha”, nos arredores de uma festa rave. Logo após terem se deparado com “a coisa”, os três amigos percebem que adquiriram poderes especiais. Um deles, chamado Andrew (Dane DeHaan), é muito tímido, e vive sofrendo com os abusos do pai violento e com o bullying na escola. Junto a Matt (Alex Russell), e Steve (Michael B. Jordan), Andrew se diverte aprontando todas com os super poderes. O filme é bem legalzinho, com efeitos especiais bem sacados e divertidos, usando “chroma key” o tempo todo. Há quem diga que a história é inédita, mas na verdade é um “Carrie a Estranha” (1976) em dose tripla, sem a direção de Brian de Palma, e sem a história de Stephen King. A grande sacada de “Poder sem limites” está nas tomadas inéditas e criativas que o longa-metragem apresenta. As cenas de voo com a câmera na mão, do tipo videogame em primeira pessoa, são um exemplo disso.
As partes do filme que simulam um documentário são bem dosadas, para que o espectador não sinta tontura com o balanço da câmera. Mas não conseguem em nenhum momento convencer que se trata de um fato ocorrido. É claro que isso se deve também ao conteúdo absurdo da trama. A produção é caprichada, e vale a pena ver o filme, que é direcionado ao público jovem.
Boas festas e um feliz Natal para todos!
  

Deixe sua opinião