No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

O Zoológico de Varsóvia - EUA, Reino Unido - The Zookeeper´s Wife - (2017)
Publicado em 23/09/2017

Ricardo Beleza

E-mail:
Cidade: Bagé / RS
Jornalista e crítico de cinema
Ricardo Beleza

Foto: Alina Souza / Especial FS

Drama baseado em fatos ocorridos durante a Segunda Guerra Mundial, dirigido por Niki Caro, disponível para a venda e locação em Blu-Ray e DVD. Antonina Zabinski (Jessica Chastain) e seu marido Jan (Johan Heldenbergh) tomam conta do zoológico de Vársóvia. Quando a Polônia é ocupada pelos alemães, o casal passa a submeter-se às ordens do oficial nazista Lutz Heck (Daniel Brühl). Ainda assim ajudam 300 judeus poloneses a escapar das garras da morte no holocausto nazista.  A história vem a ser semelhante à contada no filme “A Lista de Schindler” de 1993. O roteiro começa muito bem, mas vai perdendo a força ao longo do filme. Jessica Chastain tem se destacado como atriz, produtora e ativista, lutando por causas nobres em defesa de um mundo melhor. O caráter engajado da mesma faz com que, algumas vezes, opte por um filme não tão brilhante, mas que alcance a sua meta. Daniel Brühl interpreta o antagonista Lutz Heck, um caçador e zoologista proveniente da aristocracia alemã, que durante a guerra se torna oficial da SS (Polícia do Estado). Ele nutre uma espécie de afeição sádica pela protagonista, uma curiosidade sobre esse ator é que seu pai nasceu em São Paulo, aqui mesmo no Brasil, sua mãe é espanhola e ele também, nascido na cidade de Barcelona, mas sua nacionalidade é alemã. Deixando de lado essa confusão natal e geográfica, o que vale mesmo é assistir o cara atuando sempre com muita competência e precisão na execução de seus papéis. A boa produção de set chefiada por Chastain não segura a grande falha do filme que é justamente o descuido na adaptação do livro: “The Zookeeper’s Wife - A War Story, de Diane Ackerman”. Isso já vem sendo há anos quase que um clichê em filmes comerciais que se preocupam mais em “adocicar” do que realmente “salvar” os detalhes mais importantes da história. Esse fato não deve ser culpa da diretora neozelandesa e nem da roteirista Angela Workman, mas sim do estúdio. Eles adoram exigir roteiros simples, com a mesma fórmula eficaz e já batida, que proporciona bons resultados de bilheteria. Mas o destaque mesmo fica com a Jessica Chastain, que brilha mais uma vez, atuando sem medo e com muita tranquilidade ao lado de elefantes, leões e gambás. Sim, é estranho, mas a personagem dorme com um gambá americano na cama... Um carinhoso abraço para todos. PS: Dedico à coluna de hoje a todos que trabalham direta e indiretamente no NBPA – Núcleo Bageense de Proteção Animal.

Deixe sua opinião