No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Cela 211 - Celda 211 - Espanha, França (2009)
Publicado em 09/10/2015

Ricardo Beleza

E-mail:
Cidade: Bagé / RS
Jornalista e crítico de cinema
Ricardo Beleza

Suspense, ação e drama misturam-se nesse filme dirigido por Daniel Monzón

Foto: Alicia Ibañes/Especial FS

Antes de seu primeiro dia de trabalho, o agente penitenciário Juan Oliver (Alberto Ammann), vai conhecer as instalações do presidio para também se informar um pouco do seu funcionamento. Enquanto ele está lá dentro um motim tem início. O violento detento Malamadre (Luis Tosar) lidera a rebelião. Para sobreviver, Oliver se faz passar por um prisioneiro recém-chegado.
Esse filme tem um pouco do hollywoodiano “Duro de Matar” de 1988. Mas isso não mostra que seja apenas uma cópia do sucesso americano, o filme vai bem mais além.
Excelentes interpretações e um discurso sobre moral e direitos humanos são vistos ao longo de Cela 211. Mas o que chama a atenção é a qualidade da obra de orçamento modesto, que comparada aos milionários blockbusters de ação americanos, é muito mais inventiva e legal. A Europa vem mostrando esse tipo de produção que provoca os gringos norte-americanos, no quesito de sensibilidade e inteligência, já faz um bom tempo. Provando que, mesmo com poucos recursos, é possível se fazer uma boa obra de sétima arte.
Cela 211 ganhou oito prêmios Goya em 2009, inclusive os de melhores filme, ator e diretor.
Essa produção europeia me foi indicada pelo amigo e cinéfilo Michel Godinho. Um bom final de semana a todos.

Deixe sua opinião