Ave, César! - Hail, Caesar! – EUA, Reino Unido – (2016)
Publicado em 06/05/2016

Ricardo Beleza

E-mail:
Cidade: Bagé / RS
Jornalista e crítico de cinema
Ricardo Beleza

Foto: Reprodução/FS

Comédia, drama, musical e filme policial se misturam nessa nova produção dirigida pelos irmãos Joel e Ethan Coen.
Eddie Mannix (Josh Brolin) é responsável, entre outras tarefas, de cuidar e proteger a imagem das estrelas do estúdio de cinema Capitol. A história é contada nos anos 50 e foca bastante nos bastidores das gravações dos filmes. A trama fica principalmente no sequestro do astro Baird Whitlock (George Clooney). Os irmãos Coen estão inspiradíssimos nesse longa-metragem, que mostra, em sequências primorosas, como eram feitos os musicais, épicos e westerns da época. Apresenta, também, o difícil relacionamento dos diretores com os atores, figurantes e todo o resto. A grande peculiaridade está nas cenas cômicas, que utilizam um humor muito sagaz. O perfeccionismo excêntrico, no bom sentido, imprimido pelos Coen, é de cair o queixo e fazer babar. Devo citar três das cenas que mais me impressionaram: a sequência de gravação do faroeste protagonizado pelo astro interiorano Hobie Doyle (Alden Ehrenreich), a sensacional cena das sereias fazendo um nado sincronizado tendo no papel principal a estonteante  DeeAnna Moran (Scarlett Johansson) e, por fim, a dança com sapateado, feita por Burt Gurney (Channing Tatum) e um grupo de atores dançarinos vestidos de marinheiros. O único senão desse filme, a meu ver, foi a pouca exploração do personagem de Johansson, ela faz um papel sensacional, arrasta as fichas, literalmente, mas aparece pouco. Às vezes, isso acontece por cobrança do estúdio, para deixar o filme mais comercial, menos longo e é realmente uma pena. Isso porque “Ave, César!” poderia ter, muito bem, umas três horas e meia e, mesmo assim, seria ótimo. No elenco principal temos ainda: Ralph Fiennes, Tilda Swinton, Frances McDormand e Jonah Hill.
Um ótimo final de semana e um grande abraço a todos.

Deixe sua opinião