No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Coluna Social 11.03.20
Publicado em 11/03/2020

Marcos Pintos

Cidade: Bagé / RS
Colunista social - Paralelo MP
Marcos Pintos

Paralelo MP

Foto: -

Bettina Becker quem assinou a estruturada festa de formatura de Isabella Kalil. Como palco, o Porto Alegre Country Club

“Aprendi a deixar os dias mais leves. Comecei a acreditar que ser feliz é descomplicar a vida pelo lado de dentro”.

Chico Xavier

 

Partida, união familiar e a verdadeira propriedade

Domingo, 20h30min, decolagem autorizada para voar rumo à cama a fim de curtir o finalzinho de domingo na paz do lar. Aviso sonoro do grupo dos primos Zuliani no WhatsApp. “Tia Marlene partiu”. Pausa. Turbilhão. Trata-se de uma das irmãs mais velhas – pessoa boníssima! – dos nove irmãos de minha mãe. Ah, minha mãe! Como estaria ela após receber a notícia?! Filho agarrado, voei da cama, passei a mão na coleira do cusco e corri à casa dela. Abraço. Lágrimas. Silêncio. Arrumamos pequena mala e nos tocamos, em caravana, rumo a São Sepé, cidade da minha tia, de queridos primos e onde nosso nono e nossa nona moraram, durante alguns anos, sempre em função das lavouras de arroz. Preparados para encarar a madrugada, chegamos movidos por profunda emoção. Naquele momento, percebi tratar-se de interessante pauta para uma crônica... Sou um cara de sorte. Digo isso porque, meus irmãos, meus primos e eu fomos rigorosamente criados para sermos unidos. Creio que assim o seja porque nossos antepassados, vindos do sul da Itália, até pela prova da fome passaram – ligados pelo elo do amor, criamos uma forte barreira protetiva. Mãos dadas; carinho verdadeiro; disponibilidade de sentimentos. Essa é a minha família. Aqui, recém-chegado de São Sepé, desperto meu eu mais profundo para abrir o coração em testemunho, sem perder tempo para pronunciar o amor que sinto pelos meus considerando que, em momentos cabais como as partidas físicas, verdades se manifestam em profusão. A vida na Terra, amigos, é eminentemente transitória. A certeza da morte deveria funcionar como um antídoto para as ilusões mundanas. A transitoriedade da experiência terrestre faz com que ela se assemelhe à preparação para uma grande viagem. Quando alguém vai a um país distante, cuida de levar na bagagem objetos que lá sejam úteis. De nada adianta gastar tempo e esforço para acumular coisas que não poderão atravessar a fronteira. Quem assim age corre o risco de chegar sem nada ao seu destino, na qualidade de autêntico mendigo. Logo, nada do que é de uso do corpo é permanente e real. Já os dons da alma são eternos: uma vez conquistados, jamais serão perdidos. Convém, pois, tratar de desenvolver a inteligência e as qualidades morais, reveladas mediante uma vida digna como a que teve minha querida tia, a quem agradeço as lições e a quem dedico este singelo texto. Paz e bem.

 

Doação

O Conselho Bageense da Mulher Empreendedora (Cobame), na pessoa de sua presidente, Mauren Delabary, entregou cheque na quantia de R$2 mil à Casa da Menina. O montante é resultado do evento “Mundo Mágico de Natal” e será direcionado às benfeitorias pelas quais passa aquela casa do bem. Nota dez!

 

Fim da temporada

A sexta-feira, 20 de março, marca o término do verão no Hemisfério Sul. Avistando o ocaso da estação quente, Júlio Lucas e sua diretoria encerram a temporada de piscinas do Cantegril no próximo domingo, 15. Não resta dúvida: trata-se de uma das temporadas mais movimentadas do pico da colina graças à soma de significativos fatores, dentre eles, a reforma pela qual passou a piscina principal. Outros pontos bacanas foram a implantação do serviço Le Bistrô, a presença constante de antigos e novos sócios e a união dos departamentos a fim de movimentar o pico com torneios e outros eventos. Dois mil e nove marcou as bodas de diamante do Cant., ou seja, 60 anos de lazer para os seus sócios. Na pessoa do presidente, Paralelo parabeniza os demais membros do colegiado bem como os societários que abrilhantaram a concorrida temporada.


Deixe sua opinião