No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Solidariedade se estrutura para eleição municipal
Publicado em 23/11/2019

Márcia Sousa

Márcia Sousa

Foto: Mariana Muza

Presidente estadual e membros da executiva visitaram o Folha do Sul

Com a presença do presidente estadual do partido, o vereador de Porto Alegre, Cláudio Janta, o Solidariedade de Bagé realizou um ato de filiação, ontem, no CTG Gaspar Silveira Martins. A legenda tem como pré-candidato a prefeito da Rainha da Fronteira, o ex-presidente da Câmara de Vereadores, Uilson Morais.
Ontem à tarde, Janta, acompanhado de Morais e membros da executiva do partido, esteve na redação do jornal Folha do Sul. Ele contou que o partido está se estruturando nas regiões da Fronteira Oeste e Campanha para eleição municipal de 2020. Segundo ele, o partido está montando nominatas para vereadores em vários municípios gaúchos, com nomes novos na política. O Solidariedade já está com nominata pronta para vereadores nos maiores colégios eleitorais – Porto Alegre, Canoas, Caxias e Pelotas; além de  estar em estruturação em municípios pequenos como  São Vendelino e Jaquirana, por exemplo.
Para prefeito, além de Bagé, o partido vai concorrer à majoritária em cidades como Caxias do Sul, Cachoeirinha, Erechim, Cruz Alta; e de vice em locais como São Gabriel e Canoas.
O presidente estadual explicou que o Solidariedade é um partido de centro trabalhista – que defende o capital e o trabalho. “Os dois têm que andar juntos”, argumentou. Ao falar da região, ele afirmou que a Campanha tem grande potencial para se desenvolver em várias frentes. Janta disse que hoje quem emperra a geração de emprego e novos investimentos é o próprio governo.
Uilson Morais acrescentou que o Solidariedade se apresenta para eleição do ano que vem como o da política de mudança. E garantiu que na presidência dele na Câmara de Vereadores foi a gestão que mais trouxe economia ao Legislativo. Na ocasião, ele pertencia ao MDB.
Nessa linha, Morais ressaltou que a proposta do partido é trabalhar no sentido de gerar economia no poder público e que não dá para aceitar que hoje a prefeitura seja o maior empregador no município. Ele defende mudança de paradigma nesse sentido, ao afirmar que o empregador tem que ser o empresariado. “Temos que dar atenção aos empresários locais”, disse.
Filiações e coligação
Os membros da executiva do Solidariedade garantem que o partido concorre na cabeça de chapa para prefeito, mas que está aberto para possibilidade de fechar coligação para vice. No entanto, Morais deixou claro que isso não vai ocorrer com partidos aliados ao atual governo municipal.
Sobre o evento de ontem, Morais informou que foram distribuídos em torno de 800 convites e que se filiariam à legenda cerca de 300 pessoas. Ele acrescentou que a nominata em Bagé para concorrer a vereador é composta de nomes novos na política, mas com conhecimento político e com potencial de votos. Cerca de 90% deles vão concorrer pela primeira vez.


Deixe sua opinião