PLANO SAFRA 2020/2021 REFLETE O CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO NO BRASIL
Publicado em 22/06/2020

Marcelo Lopes Vieira

advogado, especialista em direto previdenciário, com pós graduação em Direito Processual e do Trabalho e Direito Ambiental.

Marcelo Lopes Vieira

O agronegócio cresce com a pandemia, o governo retribuiu com esforço conjunto do Ministério da Agricultura e Ministério da Economia, com o lançamento, na semana passada, no Palácio do Planalto, do Plano Safra 2020-2021, que contará com R$ 236,3 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional, um aumento de R$ 13,5 bilhões em relação ao plano anterior, equivalente a 6,1% superior a disponibilidade de recurso do plano safra anterior. 

A prioridade na lista de reinvindicações dos produtores rurais foi atendida, redução de juros, porém, continuaram superior a taxa Selic, reduzida a 2,25%.

Em relação ao seguro rural, houve, pelo segundo ano consecutivo, a ampliação de 30% de recursos para subvenção.

Novas linhas de financiamento entraram no pacote do plano safra 2020/2021, no escopo da sustentabilidade que atualmente já conta com a linha de Agricultura de Baixo Carbono, será possível financiar cotas de reserva ambiental. Na irrigação, a possibilidade criada é para a aquisição de equipamentos de monitoramento.

A solução de entraves, tais como como enfrentar os problemas com estiagem (Seguro Rural), dependência com instituições financeiras, injustas invasões de áreas agrícolas, torna a produção agrícola e pecuária ainda mais brilhante e eficiente.

Cresce a responsabilidade do agro no futuro do Brasil, a importância do agro no PIB brasileiro, no intuito de equilibrar a balança comercial, bem como abastecer, produzindo alimentos para o Brasil e o mundo.


 


Deixe sua opinião