No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Comentando - 10 de agosto de 2019
Publicado em 10/08/2019

José Higino Gonçalves

E-mail: higinobage@gmail.com
Cidade: Bagé / RS
Editor de esportes, Higino Gonçalves foi editor geral do tradicional jornal Correio do Sul por quatro décadas. Conhecedor do esporte e de sua história, mantém cobertura diária das atividades desportivas e coluna sobre a história e curiosidade do esporte local e regional, compondo um verdadeiro almanaque do tema aos sábados
José Higino Gonçalves

BAGÉ ESTREIA na Copa “Seu Verardi” neste domingo, em casa, diante do Cruzeiro de Porto Alegre (ou será Cachoeirinha, onde o clube mantém a sua arena?). O torcedor está conclamado a prestigiar o time, que tem a volta do treinador Badico e, sobretudo, a preparação para o Acesso-2020, o  emblemático ano do centenário da agremiação.

GUARANY COMPLETARÁ em dezembro 50 anos da conquista da segundona, em 1969. Foi o coroamento de um exemplar trabalho de renovação, comandado pelo então presidente, José Carlos Teixeira Giorgis. No campo, os responsáveis foram o treinador Danilo Juarez Nigris da Silva e um grupo de jogadores que mesclava experiência e juventude. Daquele elenco, nomes como Nanão, Ilton, Geraldo Baiano, Abílio residem em Bagé.  Plínio voltou a Vacaria, Selmar e Toninho radicaram-se em Santa Maria, Saulzinho mora em Santa Catarina, Éder em Curitiba. Outros, como Ismael Moreira, Zé Roberto, os irmãos Osmar e Carlinhos Froes, Amarante, são falecidos.

OUTRO GRANDE FEITO a ser recordado é o título de Campeão do Centenário, em 1959, pelo Bagé. O treinador na decisão era Oswaldo Cross, o saudoso Cachorrão. O time na finalíssima: Antoninho, Gabriel, Sidnei, Carioca e Nélson Teixeira; Roberto Caramuru e Henrique Andrade; Carlos Cabral, Euzébio Tavares, Tupanzinho e Carmelo Storniollo. Na primeira partida, vencida pelo Guarany por 2x0, depois foram dois triunfos do Bagé e o empate na decisão, os jalde-negros também tiveram Ramão Ballejo e Cross. Dos personagens – na maioria falecidos -, apenas Euzébio Bertoldo Tavares, catarinense que aqui chegou em 1956, reside em Bagé.

 GOLEADOR DO GUARANY e da segundona-2019, com nove gols em igual número de jogos, o atante Andrei está emprestado ao Pelotas e, além da Copinha, pode disputar o Gauchão do próximo ano pelo Lobão.

NUMEROSA COLÔNIA bageense em Porto Alegre tem muitos torcedores da dupla Ba-Gua. E o sentimento de bageensidade voltou a ser demonstrado nesta semana, com dirigentes do Guarany sendo recepcionados pelo consulado alvirrubro na Capital, com a promessa de manter o  apoio ao clube.

SANTA-MARIENSE Thiago Nunes, que treinou o Bagé em 2012, continua em alta no Athletico Paranaense. Atual campeão da sul-americana, o Furacão conquistou no meio da semana, no Japão, a nova edição da Copa Suruga.


Deixe sua opinião