No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Papo de Elevador - 21 de agosto de 2019
Publicado em 21/08/2019

Gladimir Aguzzi

Gladimir Aguzzi

Foto: Rodrigo Sarasol/EspecialFS

Clube Comercial

O prefeito Divaldo Lara anunciou segunda-feira que está em tratativa para que o município adquira o prédio do Clube Comercial. Já houve uma proposta feita pela direção da sociedade e contraproposta por parte do Executivo.

 

Patrimônio de Bagé

Conversei com o prefeito Divaldo sobre o assunto e ele disse que leva em consideração a importância do prédio para a cidade, a sua relevância histórica e o quanto pode ser útil para o município.

- Preservamos o patrimônio e podemos fazer dele um excelente equipamento social e cultural, disse o chefe do Executivo.

Soube à boca pequena que já há outros interessados na compra, inclusive uma igreja.

 

Teatro Municipal

Ontem, na Biblioteca Pública Otávio Santos, quando o produtor cultural Francisco Roloff, os arquitetos Jean Turcatto, Tailan Ribas e Elso Engleitner Filho apresentaram o projeto arquitetônico do teatro municipal de Bagé, a ser construído anexo à biblioteca, para uma plateia de gente de arte e cultura, eles disseram que estão abertos a sugestões. Não se trata de algo fechado, feito sem a participação da comunidade.

 

Três andares

Aliás, o teatro será anexo e no espaço da biblioteca pública, porque ocupará também o terceiro piso, onde estarão disponíveis salas multiuso, para oficinas cênicas, ensaios e palestras. Trata-se de um teatro moderno, bonito e funcional. O palco tem 10x13 metros, com todos os equipamentos, e na plateia 400 lugares, dentro das normas de prevenção à incêndio (PCCI) e acessibilidade, incluindo elevador.

 

Todos os espaços vistos

Porque Bagé espera um teatro adequado para apresentações cênicas há 100 anos, vale a pena ressaltar o dia de ontem, dizendo, por exemplo, que a obra do teatro não terá custos para o município. A Comissão pela Construção do Teatro Municipal, constituída em 2017, observou as possibilidades de locais onde poderia ser construído o teatro, como o Cine Hotel Consórcio (atrás do Obinotel), Cine Glória, o prédio da esquina das ruas General Sampaio e Vinte de Setembro, uma área próxima à Urcamp e o anexo da biblioteca.

 

Biblioteca beneficiada

Todos os lugares escolhidos apresentavam algum problema, uns mais sérios que os outros, seja financeiro ou burocrático. O prefeito Divaldo Lara optou pela esquina da Sete de Setembro e Carlos Mangabeira, diagonal com a praça de Esportes, porque já é da prefeitura, portanto sem custos, beneficia também a biblioteca e se trata de um lugar privilegiado no centro da cidade.

 

Uma luz

Foi a agenda do secretário Eduardo Deibler, em Porto Alegre, quando da apresentação do programa comemorativo aos 50 anos do Conselho Estadual de Cultura, ano passado, que fez com que fosse apresentado a Francisco Roloff pelo então conselheiro Ruben Oliveira. Estive presente nesse evento. Deibler vislumbrou na conversa com o produtor cultural a possibilidade de um teatro sem custos para Bagé.

 

Know how em teatro

A obra custará em torno de R$ 3 milhões, mas através da Lei de Incentivo à Cultura do Estado do Rio Grande do Sul, que há pouco sofreu modificações e está mais acessível para a captação quando se trata de equipamentos culturais, como é o caso do teatro. A experiência de Roloff nessa área, há pouco fez um teatro em Ijuí, permite acreditar que a captação dos recursos ocorrerá e ele é otimista em relação a isso. A obra em Bagé será construída por etapas no prazo de 18 a 24 meses.

Santa Fé

Francisco Rollof após sua apresentação começou a ser requisitado para fazer andar outros projetos. Um deles é a Cidade Cenográfica de Santa Fé, que visitará hoje.  

14 compromissos

O teatro está entre as propostas apresentadas pelo então candidato a prefeito Divaldo Lara na campanha eleitoral de 2016. Acredito que seja esse o último dos 14 compromissos do prefeito registrado em cartório na eleição e que faltava ser cumprido.

 

Bagé no cenário

O entusiasmo da secretária de Cultura e Turismo Anacarla Oliveira, do secretário Eduardo Deibler e do vice-prefeito Manoel Machado, ontem, durante a apresentação do projeto parecia já dar como certa a entrada de Bagé na agenda artístico-cultural do Estado, trazendo para a cidade espetáculos que não podiam vir por falta de uma casa adequada.

 

Chico do Passo Certo

E o PSB de Bagé? Passei um bom tempo criticando a passividade de seus membros que estavam no governo municipal e deixavam o vereador Chico correr solto como um parlamentar de oposição, fazendo as vezes do Joãozinho do Passo Certo, quando na verdade era o contrário. Cheguei a sugerir que o expulsassem do partido e requeressem o seu mandato.

 

Socorro!

No entanto, parece que os integrantes do partido, a maioria, pelo que me foi informado, resolveu se desfiliar do PSB e deixar a sigla oca, vazia. O vereador Chico e o professor Ricardo Cougo terão a árdua missão de reconstruir o PSB. Minha sugestão é que peçam socorro ao deputado estadual Luiz Mainardi, que é um expert em destruir, criar e inflar partidos em Bagé.

Quem sabe? Afinal, essa gente do PT é tão boazinha.

 

(críticas e sugestões para gladimiraguzzi@gmail.com)


Deixe sua opinião