No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Papo de elevador - 10 DE AGOSTO
Publicado em 10/08/2019

Gladimir Aguzzi

Gladimir Aguzzi

Foto: Reprodução/FS

Democraticamente

Uma amiga me encontrou, olhou-me profundamente e disse:

- Gladimir, não sei o que é mais ridículo. Eu com o meu “Lula livre” ou tu defendendo a direita.

Ouvi. Com a cara mais democrática que me foi possível, ouvi.

 

Ah, os socialistas!

Outro dia ouvi de um empresário local:

- Ainda vamos pagar por muito tempo os prejuízos dos “socialistas” que estiveram no governo. Pago imposto até para ser fiscalizado.

 

Marque a resposta certa

Analisando as constatações sobre os governos do PT e suas sombras lançadas sobre o país, como o perigo que corríamos em afundar, falir, entrarmos em um estado de subdesenvolvimento assustador, pensei que quando chegasse o pavor, à vista do abismo, o medo com a possibilidade de afundar leva a qualquer tábua de salvação. Portanto, a pergunta:

- A quem recorreriam petistas e pecedobistas no comando do governo?

Venezuela Rússia China Irã Coréia do Norte

 

A salvação

Pode parecer sarcasmo ou ironia colocar a Venezuela na lista de países para um pedido de socorro. Não é. Imagina-se num caso desses que os dois (no caso nós e eles) poderiam dar as mãos, unir forças e explorar o pré-sal. Afinal, a experiência da Venezuela com petróleo é conhecida no mundo. Daí, saíriamos do estado de subdesenvolvimento assustador. Pelo menos até a próxima eleição, quando, mais uma vez a Petrobrás tombaria saqueada.  

 

A armação

A tentativa de salvar o ex-presidente Lula percorre os caminhos mais estranhos que nossa vã imaginação pode alcançar. Esta é uma delas:

- O Lula foi vítima de uma grande armação.

- Mas, tu acreditas que o Lula não roubou, não lavou dinheiro?

- Não para si. Fez o que fez para proteger o Brasil da direita que quer matar nosso povo à míngua. Lula não queria dinheiro para si, mas para manter o povo no poder.

 

30 anos no poder

Essa grande fantasia socialista, do povo com o povo e pelo povo, um embuste made in Brazil, tem sua revelação no mensalão, lá na metade da primeira década do milênio, por volta de 2005, na engenharia de José Dirceu.

- Que baita plano, disse-me certa ocasião um amigo.

A ideia era se manter no poder por 30 anos, no mínimo.

 

Fake Democracy

A engenharia de José Dirceu dá origem a “ falsa democracia”. Eleitos pelo voto direto, só que não. Porque os votos seriam manipulados pelo poder econômico. O poder que compra partidos, compra instituições, compra organizações e, por consequência, compra votos.

Simples. Objetivo. Direto. Um grande plano. Canalha, mas grande.

Felizmente, Roberto Jeferson e José Dirceu se desentenderam e deu no que deu.

TV Câmara Bagé

Li outro dia um edital, aqui no Folha do Sul, de aviso de licitação para compra de equipamento para a TV Câmara. Será em agosto. Perguntei para o presidente da Câmara, Esquerda Carneiro:

- Demorou, presidente? A TV Câmara está precisando.

Ele não quis responder. Preferiu ficar na dele. Mas compreendi o subtexto e o que poderia ter dito:

- Se compra é porque está gastando dinheiro com supérfluo. Se não compra é mau administrador, desleixado, relapso, que não dá importância para esse instrumento de transparência legislativa.

Fuca fora, Chico dentro

E o vereador Fuca foi expulso do PT. Estava votando com o prefeito Divaldo Lara. Ou melhor, com o governo municipal. Pelo menos esse é o argumento que li. Afinal, o PT concorreu contra a chapa encabeçada pelo PTB em 2016 e é oposição na Câmara.

Por essa lógica, defendo a expulsão do vereador Chico do PSB. O PSB, ao contrário do PT, concorreu com o PTB para prefeito, é situação, tem cargos e secretaria no governo.

 

O PSB e o barco

No entanto, ao invés de remar, os membros do PSB estão abandonando o barco. Deveria ser o contrário. Defender o projeto ao qual esteve engajado o PSB na última eleição municipal, projeto que garantiu o comando do Executivo e representação no Legislativo. Nessa perspectiva, mostrar ao seu vereador eleito nessa coligação o que é ser governo.


Deixe sua opinião