No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Social - 14 de setembro
Publicado em 14/09/2019

Gilmar de Quadros

Cidade: Bagé / RS
Colunista social
Gilmar de Quadros

Foto: Divulgação/FS

Dr. Adauto Simões Pires, Rosane Coutinho, Angela Zafari, preparativos da exposição Salvar Vida, AZ Galeria

CINEMA E HISTÓRIA, o filme Legalidade, do diretor Zeca Brito, entra em cartaz no Brasil neste fim de semana. No Cine 7, sessões especiais hoje e amanhã; o diretor do filme vai comparecer à sessão deste sábado. O filme “Legalidade” é ambientado no fatídico ano de 1961, quando Leonel Brizola, então governador do RS, organizou um movimento de resistência à tentativa dos militares de impedir a posse do vice-presidente João Goulart, após a renúncia do presidente Jânio Quadros. No elenco estão Cleo, Letícia Sabatella e Leonardo Machado (1976-2018) e Sapiran Brito, que dividem o papel de Brizola em duas épocas. "Legalidade". Esse longa-metragem teve estreia mundial em abril deste ano, no 35º Festival de Cinema Latino de Chicago (EUA). Aplausos!

ALQUIMIA DO SABOR, jantar, logo mais, no salão de festas do Santuário de Nossa Senhora Conquistadora, capitaneado pelas integrantes da Confraria Borbulhas da Campanha; elas mesmas vendem os convites a R$ 60. O dinheiro arrecadado vai comprar um aparelho respirador para o Pronto-Socorro da Santa Casa de Caridade de Bagé... QUINTA-FEIRA (12), o ex-governador Alceu de Deus Collares comemorou 92 anos com muita vitalidade e disposição para conceder entrevistas.  Aplausos!

SALVAR VIDAS, ação solidária da AZ Galeria que vai destinar 100% da quantia arrecadada com a venda das 78 obras e também as do livro “Sabores do Pilates”, 2ª edição, à Associação dos Amigos da Pediatria da Santa Casa. O evento de quarta-feira (18), às 19h, porém a comercialização dos quadros já está ocorrendo; cada um deles ao custo de R$ 500. A galerista Angela Zafari está na maior euforia e o pessoal da pediatria também, pois esse montante vai ajudar a pagar a construção da passarela que interliga a pediatria as duas CTIs do hospital. Aplausos!

MÚSICA EM PAUTA.  Algumas cidades são especialmente providas de notáveis compositores, excelentes músicos e interpretes. O Rio Grande do Sul continua referência neste segmento. Tradição, movimentos culturais e políticos em várias direções fazem com que a arte e a música, particularmente, se aglutinem de forma mais intensa em lugares específicos e em determinadas épocas. É o caso, por exemplo, deste momento cultural em Bagé.  Muitos artistas usam a terra nativa como inspiração para moldar a arte que produzem. Em outubro (29), diversos músicos e cantores nativistas vão estar no palco do Salão Carlos Gomes, Instituto Municipal de Belas Artes:  "Noite Nativista”  participação de cantores convidados vindos de cidades vizinhas. Aplausos! 

BACANA este projeto de extensão do curso de Letras da Unipampa: “Confraria Poética”, que vai se realizar às segundas-feiras, de 17h às 18h, na Biblioteca Otávio Santos. Todos podem participar das “Rodas de Leitura”, coordenadas pela professora MS, Vera Lúcia Medeiros. Na primeira delas, este semana, a obra selecionada foi Lagoa da Música, de Pedro Wayne. Aplausos!

UM POEMA EM CADA ÁRVORE, ação cultural da Cia de Teatro Bufões da Rainha, dia 21, na praça Silveira Martins, vai prestar homenagem à memória de Rafaela Gonçalves Ribas. Hoje, relembremos este texto em celebração à igreja Nossa Senhora Auxiliadora, só não me recordo qual e quando, mas eu a guardei entre muitos outros textos de Rafaela, é claro.

“Neste secular e majestoso templo, com suas torres apontando para o mundo, surge a plástica arquitetura que a distingue e pereniza. Nela a celebração de seus cultos: missas, novenas, procissões. No místico ornato de suas pilastras, turíbulos e altares. Na policronia de seus vitrôs escriturados no pergaminho da perenidade. Com seus sacerdotes de ontem e de hoje aspergindo bênçãos a todos nós, no louvor a Deus, nesta hora azul em que nos enternecemos diante deste cenário de luz – lavrado no cromo do tempo. Renascendo o véu escondido na liturgia do coração. [...].   E aqui revivamos o tempo enigmático de outrora. Voltemo-nos à praça de Esportes nesta data de celebrar Nossa Senhora Auxiliadora. Vivenciemos mais este espaço plástico abotoado à memória da cidade que se estendeu durante gerações às instâncias da infância de todos nós. Por isso sempre voltamos à praça e viajamos nela. E voamos em suas asas.  E vemos a praça estendida na vela verde de nossos olhos. Nesta cidade fronteiriça carregada nos braços do tempo, sufocada de luzes, imolada aos vendavais.  Berço e templo de lutas, avessos e conquistas. Luzes ao céu deste céu sulino. Seara de sóis e searas, pela maturação de talentos que bordam este chão. Pela fecundação de tua história embrulhada no mistério de mitos e florões. [...]. Finalizando podemos dizer com Cecília Meirelles: “Deixa-me nascer de novo, nunca mais em terra estranha, mas no meio de meu povo, com meu céu, minha montanha. E estar, ao mesmo tempo, longe e perto. E ser múltiplo, unânime e indiviso.”   


Deixe sua opinião