Coluna Social Gilmar de Quadros 1810
Publicado em 01/12/2012

Gilmar de Quadros

Cidade: Bagé / RS
Colunista social
Gilmar de Quadros

Aplausos

Foto: Gleider Ayres

Heloísa Beckman, Alice Araújo Salis, Dr. César Lima Lucas

DÊ-LHE texto Bravo Álvaro Godoy aqui para vocês que tanto apreciam o belo, o sublime, o eloquente, como é o talento e a inteligência da nossa muito amada colaborada Rafaela Gonçalves Ribas, meus queridos!

“NA LUZ de azul profundo em que se move a noite, à frente desta casa da memória (Palacete Pedro Osório), na majestade de sua arquitetura secular, deuses nos tomam as mãos, nos prendem ao coração e nos levam ao passado. Estas figuras, estas imagens, perfis, personagens em seus contornos, renascem de longínquas eras. Viajaram, por certo, na distância. Vede como caminham na face do tempo. Ou migraram, quem sabe, pelos braços da Estrela da Manhã. Figuras etéreas que eternamente duram. Figuras, ora reais, ora imaginárias, reinventadas agora, presas às escrituras da memória. Este palacete, com suas varandas e platibandas... Suas cúpulas apontando para o mundo...Seus corredores, na sisudez do passado... E por onde se alojam sombras... Eles voltaram por estes portais... Pelas escadarias na mudez do granito. Pelas janelas, espiando pelos postigos guardiões de segredos.
Estas “personas”, pedaços de vida, fluem no recorte do tempo, sem vestígios, nem denominações. Eles voltaram pelas paredes desbotadas, murmurando risos e soluços, onde cães atentos vigiam o lento desfile de almas e pombos. Mitos e ritus se afogam na alternância dos dias. Acendem lareiras, sobem pelos sótãos e pilastras, na dialética do mármore. Eles voltaram, passeiam por terraços e gradis rendados onde florescem colmeias de adeuses. Este jeito latino, saudoso de viver o mundo, aqui está escriturado no prumo desta hora, nesta noite de céu azul profundo, na liturgia da saudade e da memória”.  Que belo texto, hein!

E COMO faz bem, merecer das pessoas, demonstração de generosidade, carinho e amizade. Ontem, recebi este e-mail que diz assim: “Gilmar, ter estado contigo, quarta-feira, no Bravo, me deixou a certeza de que tua alma tem uma elegância muito doce, uma sinceridade e uma sensibilidade incomum que me faz acreditar na humanidade. Um espetáculo daqueles! E alguém viu Gilmar por lá? Ninguém. Discretíssimo. Todos os refletores para os homenageados e demais convidados naturalmente.” Da tua amiga de sempre Mercinha.

Nos clics de Gleider Ayres, algumas presenças na Noite do Bravo 2012. Aplausos!

Deixe sua opinião