No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Diversas 78635
Publicado em 15/11/2018

George Teixeira Giorgis

George Teixeira Giorgis

A Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) é reputada como um dos valiosos atos legislativos da ditadura getuliana. Trata-se do decreto-lei nº 5.452, de 01/05/1.943. E sua estrutura mantem-se sólida embora tenham havido alterações e atualizações aqui e ali. O Dr. Getúlio Vargas, na época de seu hermético governo, em todos os dias 1º de maio comparecia à tribuna do estádio do Vasco da Gama (São Januário), então o maior do Rio de Janeiro, para pronunciar um discurso à Nação, em que sempre apregoava alguns benefícios para o operariado. -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- Em nosso tempo de guri, em que comparecíamos ao estádio da Estrela D’Alva pela mão de nosso pai, os homens iam ao futebol de fatiota, chapéu e gravata. A frequência feminina era ínfima. Posteriormente, as mulheres começaram a ir aos jogos e a desenrolar as bandeiras de suas entidades favoritas. Lembramo-nos de que, certa feita, o presidente alvirrubro era o comerciante Viterbo Cruz (maçom), que se vestia de fatiota branca com “um tope” em vez de gravata. Quando passávamos (com nosso genitor) por sua confeitaria, ele sempre nos chamava e presenteai-nos com doces saborosos. Depois, na cerimônia de adoção dos “lawtons” (parece que no mês de junho ou julho), na Loja Maçônica Amizade, ele foi nosso “padrinho” e nosso tio Bebeto Candiota o foi de Juca. Era uma festividade que culminava com farta mesa de frios e doces. -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- O Código de Processo Civil ventila “as ações possessórias” do art. 920 até 933. E os exóticos testamentos militar, marítimo, nuncupativo e do codicílio devem ser perscrutados no art. 1.134 até 1.141. -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- Uma perda irreparável (e lastimável) aquela que se materializou na morte do simpático varão e idealista de nossas tradições gaúchas Sr. Sílvio Antônio de Oliveira na semana ida. Não havia, em Bagé, quem dele não gostasse. Deixou uma referência inapagável no setor radiofônico em que tanto apreciava ter atuação e em que sempre buscava realçar a história de Bagé e do Rio Grande. Várias vezes nos entrevistou, nas emissoras em que agia, demonstrando sempre ponderação nas perguntas, respeito e fino trato. Deus o convocou muito cedo! -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- Há expectativa de que, no próximo ano, nossa Câmara Municipal de Vereadores acabe com tantas sessões solenes “de homenagens” posto que a maioria dos edis não comparece às mesmas. E é um espetáculo que deprime enxergar as bancadas vazias nas transmissões da TV Câmara! -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- Em inglês, “deck” = convés. Em francês, “malade” = doente. -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- Quando sairá uma grande loteria para Bagé? Faz tempo... -*-*-*-*-*-*-*-*-*-*- Em nossos saudosos tempos de professor no Espírito Santo (dois anos, 1.958 e 1.959) lecionávamos literatura portuguesa e brasileira (no científico) e português histórico (na Escola Normal). As melhores alunas (maiores notas) que lá encontramos foram Maria Luísa Escoteguy Merino (científico) e Terezinha Corrêa Neto (Escola Normal). Em regra, sempre tiravam “dez”. No Colégio Estadual (hoje, “Dr. Carlos Kluwe”), William Lagos Teixeira Guedes era “o maioral”. Como havia disciplina e como se estudava naqueles tempos! No Estadual noturno, entre o alunado, predominavam bancários e sargentos, que buscavam recuperar o tempo perdido na mocidade. -*-*-*- No final de semana deixou-nos Darly Camejo Ruiz, secretária dos Drs. Miguel e Marco Antônio Kalil e que, na infância, fora nossa vizinha na Rua Bento Gonçalves. Era muito organizada e deixou uma filha Simone, mais um neto.

Texto revisado pelo autor.

Deixe sua opinião