No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Diversas 64174
Publicado em 19/07/2017

George Teixeira Giorgis

George Teixeira Giorgis

 
         O 1º aluno laureado da Fac. de Direito da UFRGS (PoA), onde estudei, foi Maurício Cardoso. Nasceu em Soledade, onde o pai era Juiz de Direito, o Dr. Melchisedec Mathusalem Cardoso. Maurício (importante político rio-grandense) foi Secretário Estadual, Ministro da República e Interventor no RGS quando Flores da Cunha (dissentindo do Estado Novo que Getúlio iria decretar) fugiu para o Uruguai). Ele faleceu em desastre aéreo em 1.938. -*-*-*- Vivendo de 1.840 a 1.893, Petr Ilich Tchaikovski foi afamado compositor russo. Contam os historiadores que sua trajetória decorreu numa atmosfera “de sucessos artísticos e de desastres pessoais”. Sua vida terrena culminou com um suicídio! -*-*-*- “Trás-os-montes” é uma região a noroeste de Portugal, “penetrando como uma cunha na Espanha” consoante os geógrafos. -*-*-*- Pelo nosso Código Civil, estando em tramitação (no Cartório próprio) a documentação para o casamento; e, nesse ínterim, havendo pressa para a realização da cerimônia, a autoridade competente poderá dispensar a publicação dos editais. É o que versam o art. 1.527 e seu parágrafo único. Já em nosso Código de Processo Civil acharemos (art. 1.219) que, sempre que uma importância em dinheiro tiver de ser depositada em juízo, tal depósito far-se-á em nome da parte (ou do interessado) numa “conta especial”, que somente poderá ser mexida (ou movimentada) mediante uma ordem (autorização) do juiz diretor do processo.
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
         Recém agora soubemos (por leitura de revista do CREMERS) que faleceu em PoA nosso amigo (médico e ex-militar)  Dr. José Torquato Severo, figura simpaticíssima, que muito atuou no Hospital da PUCRGS, casado com a bageense Marta Nély, sendo genro do casal Dora e Raul Silveira Donazar. Era filho de Lavras do Sul. -*-*-*- Lá no arrabalde Menino Deus (Rua Mélanie Granier, 1.199) nasceu em 18-08-1.962 a hoje denominada “Escola Municipal de Ensino Fundamental Manoela Teilteroit”. Ela leva o nome da esposa do grande benemérito local Sr. Isaac Teilteroit. Sua dinâmica diretora atual é a Profª Gladis Marion Vargas. A Vice é a Profª. Dione Vanessa Borges dos Santos, sendo, no momento, Supervisora a Profª Franciele Garcia Soares e Orientadora a Profª Daniele Marques Leal.  A Escola funciona nos turnos matutino e vespertino, com 106 alunos (pré I, pré II e outras do 1º ao 5º ano). E possui uma Sala de Atendimento Educacional Especializado com nove discípulos. Há três funcionárias: Ivanise Maria Barão Dias, Mara Rúbia Bandeira e Rosane Faria. Ali são desdobrados os projetos “Meio Ambiente” e “Família na Escola”. A Comunidade Escolar é frequentemente convocada a partilhar de todos os trabalhos. Há um CPM e um Conselho Escolar constituídos de maneira formal. O corpo docente é caracterizado pela capacidade didática das Professoras Sandra Amélia Mattos, Marli Rosa, Fabiana dos Santos, Dione Vanessa Borges, Hilda Maria Dourado, Mara Rejane dos Santos, Cleonice Vaz, Bibiana Fernandes, Flávia da Silva e Andrísia Flores. Recentemente, ali, desdobrou-se uma “Festa Julina” com expressiva participação populacional. Pelo que podemos observar, trata-se de estabelecimento escolar que funciona com todos os setores perfeitamente sintonizados. Parabéns! -*-*-*- Últimos livros lidos: um do Dr. Ruy Rodrigo de Azambuja (falecido presidente do Instituto dos Advogados do RGS) acerca das personalidades de Ribeiro Dantas e Moysés Velhinho. Um outro (releitura, 351 pgs.), “O fio da navalha”, de W. Somerst Maugham, extraordinário intelectual inglês. E “A Guerra de Cacimbinhas” (141 pgs.), de autoria do jornalista Luiz Antônio Nikão Duarte, ventilando os primeiros tempos da vila e da cidade, que se transformou sob protestos, em “Pinheiro Machado”, município nosso vizinho. -*-*-*- Em PoA, na última semana, perdemos mais um colega da turma de dezembro/57 da Faculdade de Direito da Ufrgs: o Dr. Antônio Augusto Tadeu Bandeira. -*-*-*- Acolhendo um gentil convite do tradicionalista Sr. Nércio Pedra, comparecemos domingo à tarde ante os microfones da tradicional Rádio Cultura. E, ali, por 90 minutos, procuramos dissertar sobre tópicos da história de Bagé, do RGS e do Brasil.

Texto revisado pelo autor.

Deixe sua opinião