No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Diversas 58350
Publicado em 18/01/2017

George Teixeira Giorgis

George Teixeira Giorgis

Cercada do afago e do carinho de filhos e demais familiares, dona Mariazinha Silva Cachapuz (viúva do saudoso cidadão Sr. Nílton Vaz Cachapuz) festejou sábado seus noventa anos em lucidez plena. Parabéns! Regozijantes pela felicidade global alcançada nossos amigos Dr. Théo Oliveira Vasconcelos e a Profª Norma atingiram 50 anos de casamento dentro da simplicidade e do entendimento permanentes. Cumprimentos!
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
         Últimos livros que lemos: a) “Memórias” – vol. I – ed. 1986 – 329 pgs. – do Prof. e jurista Dr. Miguel Reale; b) “Enquanto houver luz” (187 pgs.), que adquirimos em Porto Alegre no dia 02 de fevereiro de 2.002, com casos interessantíssimos e misteriosos de autoria da célebre escritora Agata Christie. Aliás, sua produção foi úbere, pois deixou 66 romances, uma autobiografia, diários, dois livros de poesias, uma dúzia de peças teatrais e cerca de 150 contos! Seus dois famosos detetives: Miss Jane Marple e Hercule Poirot; c) “Trump através dos bastidores”, uma biografia até 1.988, “cavada” pelo escritor Jerome Tuccille (ed. 1.988 – 269 páginas). Até ali a carreira ascendente e lutadora do futuro presidente dos EE. UU. foi estupenda e prenhe de coragem e arrojo. Começou colaborando com seu pai (empreendedor de edifícios). E, em seguida, “voou sozinho”, planejando e erguendo as obras mais altas e vistosas de Nova York.
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
         Até agora repercutem a ordem, o senso patriótico e o congraçamento imperantes na passagem de comando do 3º Batalhão Logístico, notícia que aqui inserimos na edição de 12-01-17. O coquetel foi fartíssimo em frios, doces, refrigerantes, bebidas em geral, etc. numa animação cordialíssima.
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
         A República no Brasil (derrubado o imperador Dom Pedro IIº e embarcado, com sua comitiva, às pressas, pelo mar, para a Europa em exílio determinado) deu-se (como sabido) em 15-11-1.889. Mas a 1ª Assembleia Constituinte foi instalada um ano após (15-11-1.890), com 205 membros, sendo 40 militares. O 1º presidente civil de nossa República, Prudente de Morais (líder republicano paulista), a fim de tomar posse, chegou de trem ao Rio de Janeiro. E contam os historiadores que ninguém foi recebê-lo! Em 24 de fevereiro de 1.891 era promulgada a 1ª Constituição da República brasileira. -*-*-*- Ainda, segundo os historiadores, o presidente Getúlio Vargas (como todos nós) tinha as suas “manias”! Não gostava de falar ao telefone. Para escrever valia-se do lápis. Não usava caneta-tinteiro a não ser para assinar documentos ou escrever uma carta mais longa. Jamais utilizava a máquina de datilografia.
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
         No Brasil, em 1.942, foi instituído o “cruzeiro”. Até ali nossa moeda era o “mil-réis”. -*-*-*- Miguel de Cervantes, o criador do célebre cavaleiro “Dom Quijote de la Mancha”, inseriu em uma de suas obras: “A história é a mãe da verdade, a êmula do tempo, a depositária de ações, a testemunha do passado, o exemplo e o anúncio do presente, a advertência para o futuro”. Cervantes viveu de 1.547 a 1.616. -*-*-*- O Padre André Gomes Munhós, recentemente homenageado em igreja da zona norte (onde foi vigário), serviu, com devotamento e proficiência, em diversos municípios do sul gaúcho. Foi o sacerdote que casou (1.961) a mim e Creusa na Igreja de Santo Antônio em Lavras do Sul. O Padre Roberto Germano presidiu a cerimônia do matrimônio. O Padre André celebrou a missa solene. No antigo Ginásio Licínio Cardoso (lá), ele tinha sido, dela, professor, se não me engano de língua latina. Onde trabalhou, o Padre André foi estimadíssimo e um cumpridor sério e sistemático de seus deveres religiosos e didáticos.
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
         O Dr. Ary Marques Ferreira e a Profª Eneide orgulhosos e faceiros. Não é por menos. A filha Ediene é mestra renomada no Estado de Santa Catarina, com dezenas de cursos frequentados e múltiplos diplomas obtidos. O filho varão, Dr. Carlos Delmar, é cardiologista de fama no RGS, sendo vice-diretor clínico do Hospital Moinhos de Vento (P. Alegre). Também ele coleciona documentos profusos de categorização na especialidade que abraçou. Felicitações! -*-*-*- Gratidão = vocábulo inexistente na relação “cliente x advogado”.

Deixe sua opinião