Diversas 56610
Publicado em 23/11/2016

George Teixeira Giorgis

George Teixeira Giorgis

Advogado

Pelo nosso Código de Processo Civil, seu art. 586 especifica que não é qualquer crédito que servirá de fundamento para uma execução judicial. Exige-se que tal crédito, sim, tenha alicerce firme em título de uma obrigação certa, líquida e exigível. -*-*-*- Nascido em São Borja (1.883) no dia 19 de abril, o Dr. Getúlio Vargas formou-se em 1.907 numa das primeiras turmas da Faculdade de Direito de Porto Alegre. -*-*-*- Na passada semana, na capital, já aposentado, faleceu o Des. Oscar Gomes Nunes que, inclusive, presidiu o TJRGS. Muito nosso amigo, contava já idade avançada. -*-*-*-       Em janeiro de 1.962, sendo Cura da Catedral de São Sebastião o Padre Antônio Botton, realizaram-se ali as tradicionais novenas em homenagem ao Santo Padroeiro, ocasião em que foram festeiros os casais Paulino Giorgis e Dora e Aracely dos Santos Menezes e Noemi. E noveneiros os casais de Carlos Mário Mércio Silveira, Antônio Karam, Pedro Brossard, Moacyr Borges da Silveira, Clementino Velasco Molina, Darcy R. Bello, Luiz Brasil, João Baptista Loguércio, Gelsyr Borba Ruiz e a Srª Maria Giorgis Goulart. -*-*-*- O escritor francês André Maurois, in “A vida de Disraeli” (que lemos há pouco), lembrava: “A vida é muito breve para admitir pequenezas”.  -*-*-*-  As Ruas Prof. Moriconi, Walmore Not  e Fanfa Ribas restam próximas do estádio do  Bagé. A Rua Dr. Júlio Mascaranhas de Souza está entre as primitivas casas populares. A Rua Dr. Alfredo Brissac Burns fica na Vila Tarumã. -*-*-*- Espera-se que na legislatura vindoura nossa Câmara de Vereadores suprima (ou diminua) as chamadas “sessões solenes” e de homenagens. E por razão  simples: pouquíssimos edis comparecem às mesmas. . -*-*-*- Parece que a empregada doméstica, registrada na CTPS, cumprindo horário diário, é uma profissão que se inclina para a extinção. E por um motivo  singelo: o salário profissional delas  é muito alto para as posses das famílias brasileiras. -*-*-*- A professora aposentada Giselda Maria Lopes Lucas,  na próxima “Feira do Livro” (Praça da Estação, 18 horas, dia 24 do mês corrente), estará autografando nova obra de sua autoria, sob a titulação “Costeando o alambrado – causos – memórias – poesias”.  -*-*- Com grandes eventos, em 1.954, o Colégio Auxiliadora festejava  50 anos de fundação. Torneios de futebol, missas, atos solenes, romaria ao cemitério, exibição de peças teatrais, churrascos, etc. caracterizaram a  efeméride. O Inspetor Salesiano (ao tempo) era o Padre Antônio Barbosa. E os festeiros da novena: Dr. Djalma Coronel e Srª Ana Mércio Bittencourt. -*-*-*- De 20 a 22/07/1.956, a Soc. de Medicina de Bagé patrocinou  simpósio sobre Medicina Interna, para o qual vieram  palestrantes nacionais e estrangeiros. Dos anos 1.955 a 1.957 dita Sociedade tinha a diretoria seguinte: presidente – Dr. Camilo Gomes. Vice – Dr. Danilo Villamil Gonçalves. Secretário – Dr. Paulo Passos. Tesoureiro: Dr. Germano von Wallvitz. Orador: Dr. Maurício Infantini Filho. -*-*-*- Em 04 de junho de 1899 Bagé ganhava “a luz elétrica” graças a obras do Sr. Emílio Guilayn. Foi uma das primeiras localidades brasileiras a desfrutar de tal benefício. -*-*-*-  O maior produtor de alho, no Brasil, é o Estado de Goiás. O RGS está em terceiro lugar nas estatísticas de tal colheita. -*-*-*- Ainda permanece em Bagé a expressiva médica conterrânea Dra. Denise Magalhães, que reside na Espanha, na preciosa cidade de Marbella, há muitos anos. Continua a mesma: bonita e comunicativa. -*-*-*- O jornalista Gladimir Aguzzi restou faceiríssimo com o excelente comparecimento de público, na LEB, em recente tarde-noite de autógrafos. -*-*-*- A artista e empreendedora Sra. Ângela Zaffari mal pôde abrigar a multidão de senhoras e senhoritas que foram prestigiar exposição de jóias e móveis modernos em seu conhecido atelier recentemente. -*-*-*- Livros que li há pouco: “Flashes de uma vida”, de Manuel Braga Gastão (137 pgs.); “Revolução Federalista”, de Moacyr e Hilda Flores (134 pgs.); “Mussolini na intimidade”, de Vittorio Mussolini (146 pgs); “A história do Brasil são outros 500”, de Cláudio Vieira, em 255 pgs.

Deixe sua opinião