Diversas 49027
Publicado em 23/03/2016

George Teixeira Giorgis

George Teixeira Giorgis

 
Ainda no século XIX, em seu final, o jurista e civilista Lafayette Rodrigues Pereira definiu o casamento como “o ato solene pelo qual duas pessoas de sexo diferente se unem sob promessa recíproca de fidelidade no amor e da mais estreita comunhão de vida”. O magistrado e professor universitário carioca Guilherme Couto de Castro, em sua obra “Direito Civil – lições” inseriu que o casamento “é uma instituição no sentido de ser forma jurídica prevista e regulada em lei, socialmente acatada e essencialmente tutelada pelo Estado”. O art. 1.542 do Código Civil permite o casamento por procuração passada por instrumento público. A maioria dos doutrinadores e comentadores, porém, acata que só um dos nubentes poderá consorciar-se por procuração. O outro deverá estar presente (em pessoa) ao ato solene. -*-*-*- Um advogado chamado Manuel Pedro Pimentel, sobre nossa profissão, deixou escrito: “A coragem do leão e a mansuetude do cordeiro; a altivez do príncipe e a humildade do escravo; a fugacidade do relâmpago e a persistência do pingo d’água; a solidez do carvalho e a flexibilidade do bambu: eis as prendas que devem ornar o advogado”. -*-*-*- Na planta suburbana da cidade de Bagé encontraremos a Rua Ivete Vargas na Vila Gaúcha. Ivete, sobrinha de Getúlio Vargas, ficou famosa quando, após a redemocratização do país, “surrupiou” do Dr. Leonel Brizola a sigla PTB, ficando com a mesma perante a Justiça Eleitoral. -*-*-*- No alto da Santa Casa, em pequena extensão, acharemos a Rua Albano Reis. Ele foi aqui presidente da Liga de Defesa Nacional e representante dos “Diários e Emissoras Associadas”. -*-*-*- O Sr. Martimiano Rodriguez Baison foi nosso companheiro em velhos tempos do Rotary Clube Bagé-Norte, de que foi um dos presidentes. Uruguaio, cônsul de seu país entre nós, foi conceituado comerciante, proprietário da tradicional Casa Rodriguez (calçados, chapéus, artefatos de couro) situada na esquina da Rua Sen. Salgado Filho com Av. Gen. Osório. Construiu também alterosa moradia na Rua Dr. Pena esq. Barão do Triunfo, onde gostava de receber os amigos com sua esposa dona Djanira Not Rodriguez. O mesmo fazia em sua bem cuidada chácara na Av. Dr. Líbio Vinhas, perto do “ground” do G. E. Bagé. Deixou (do matrimônio citado) três descendentes.
-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-
Entrou em vigor o novo Código de Processo Civil, com muitas alterações, excesso de parágrafos, incisos e números, o que já está deixando “alarmados” os participantes da vida forense. Cabe aqui a famosa dita do falecido atleta Ataídes Tarouco: “bola p’ra frente e confusão na área”. Aos poucos, a nova legislação será aprendida e apreendida. -*-*-*- Se o Partido dos Trabalhadores quiser ganhar a eleição municipal, em Bagé, terá que, em sete meses (até lá), realizar as obras públicas que prometeu (seguidamente) e não concretizou no quatriênio que finda. -*-*-*- Internado no Hospital São Sebastião nosso benquisto colega Dr. Jodolnei Alves Trindade (OAB-RS nº 16.367). Quando rapaz foi diligente secretário do saudoso Dr. Telmo Candiota da Rosa. -*-*-*- Uma lástima que nossas escolas estaduais já comecem o ano letivo encimando a palavra “greve”! -*-*-*- Do Instituto de Cardiologia de PoA volveu, após cirurgia, nosso cordial colega Dr. Edivaldo Pereira Lomes. -*-*-*- De 1.905 a 1.909 governou Bagé o Dr. Augusto Lúcio de Figueiredo Teixeira, médico militar. Ele fora vice na 1ª gestão do Cel. José Otávio Gonçalves. O Cel. Tupy Silveira (título honorífico) primeiramente foi vice do Cel. José Otávio (que morreu no exercício do mandato). E Tupy foi Intendente de Bagé de 1.914 até 1.925 (eleito e reeleito). Faleceu quando ocupava o cargo (após uma operação de apendicite no Rio de Janeiro). -*-*-*- Impressionantes a quantidade e a qualidade de autoridades presentes à posse do Dr. Marinho na presidência local da OAB, à noite de sexta-feira última. 

Deixe sua opinião