No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Haddad é condenado a quatro anos
Publicado em 22/08/2019

Edgar Muza

Cidade: Bagé / RS
Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Edgar Muza

A sentença da Justiça Eleitoral saiu nesta segunda-feira (19/8). O que mais me deixou curioso foi a demora para chegar a essa conclusão. Senão, vejamos: O processo contra o petista surgiu de uma apuração que visava identificar o uso de recursos da empreiteira UTC, que confeccionou material de campanha de Haddad. A primeira vista parecia que era na campanha eleitoral do ano passado, onde Haddad concorreu à presidência e perdeu para Bolsonaro. Mas, ao ler o corpo da matéria, a sentença foi para quando Haddad concorreu à prefeitura de São Paulo. Pasmem, em 2012. A defesa, no entanto, deve recorrer à decisão da 1ª Vara Eleitoral. O argumento é de que a condenação apoiou-se apenas na delação premiada do empresário e dono da UTC Engenharia, Ricardo Pessoa, que teria sido prejudicado por Haddad, por cancelar os contratos com a prefeitura. A delação do Ricardo Pessoa, no entender se sua defesa seria em réplica a perda de contrato com a prefeitura. Segundo ainda os argumentos da defesa de Haddad, o dono da gráfica que imprimiu os materiais utilizados na campanha de Haddad, “teria declarado que a campanha de Haddad não foi beneficiada com os materiais". Tem que se levar em consideração que os advogados que defendem qualquer réu usa de todos os argumentos, possíveis e impossíveis, para defender seu cliente. É difícil que a justiça não tenha se apercebido da declaração da gráfica. Isso se ela foi declarada nos autos. Agora, se foi declaração fora dos autos, não poderia ter, como não teve, nenhuma influência na decisão. O certo, que pode ser levado pelo caminho de decisão política, é que no próximo ano teremos eleição para prefeitura de São Paulo e, sem nenhuma dúvida, Haddad deverá ser o candidato do PT. O que coloca o TSE na obrigação de agilizar o julgamento. Caso julgue e se confirmar a sentença anterior, Haddad ficará inelegível. Caso anule a sentença, Haddad poderá ser candidato. A pergunta que fica: O PT quer o julgamento agora ou não? 

Diretório do PSDB quer expulsão de Aécio

O próprio diretório dos tucanos de São Paulo tomou a decisão, antecipando-se ao diretório nacional. Quem está por traz fazendo pressão para sua expulsão é o governador de São Paulo, João Dória. É claro, eles são “adversários” no próprio partido. Doria não quer ninguém que possa complicar sua futura candidatura à presidência da República. Eu reputo a candidatura de Aécio como inviável porque será julgado antes disso. Tem muito crime de corrupção sobre seus ombros. O diretório Paulista só se baseou na gravação tornada pública, quando ele pediu ao telefone, para Joesley Batista, R$ 2 milhões para possibilitar a defesa nas denúncias da Lava Jato. Esse processo é apenas um deles. Há inúmeros parados em alguma gaveta do Judiciário. Não tem falado muito sobre seu “inferno astral”. Pois, o PSDB paulista, com essa decisão pode dar embasamento para sua expulsão. A “gorjeta”, que pediu a JBS, foi recebida em espécie, inclusive foi gravada pela Polícia Federal. O ex-presidente Fernando Henrique saiu em defesa de Aécio, contrariando Doria: "Jogar filiados às feras, principalmente quem dele foi presidente, sem esperar decisão da Justiça, é oportunismo sem grandeza". Por ter sido presidente do partido não poderia ser julgado por seus atos? Quantos foram julgados sem defesa do partido? Um deles, também presidente do PSDB, na primeira denúncia que pesou sobre ele teve a “hombridade” de se licenciar da presidência, o então senador Azeredo, também de Minas Gerais. Que eu tenha conhecimento, “ninguém do partido saiu em sua defesa”. Se for confirmada a decisão pelo Diretório Nacional de SP, Aécio poderá perder o cargo de deputado. Agora, se ele se licenciar voluntariamente, manterá o cargo de deputado Federal. Então, creio, com o andar da carroça ele vai acabar se licenciando. Caso contrário, se for expulso, não só perderá o cargo como também poderá ser julgado pela vara de primeira instância. Perderá o foro privilegiado. Há quem diga que o foro já caiu, que é só privilégio de algumas autoridades do Executivo e Judiciário. Até agora, não vi a tal lei ser executada na prática. É uma lei, que se pode afirmar, “é para inglês ver”. Como o Aécio deve estar arrependido de questionar a perda da eleição para Dilma. Também ter votado favorável à cassação. Ajudou a colocar Temer no governo que acabou provocando a gravação do encontro com Joesley na calada da noite. Alí o Aécio, que estava na mira da Lava Jato, resolveu pedir R$ 2 milhões ao Joesley. Um tema provocou outro. Ou não?    

 


Deixe sua opinião