AGORA SIM O GOVERNO ENTRA NOS TRILHOS
Publicado em 12/02/2020

Edgar Muza

Cidade: Bagé / RS
Radialista, comentarista de política e de notícias de geral. Liderança reconhecida nas áreas de saúde e de Carnaval.
Edgar Muza

A falta de diálogo entre os poderes e, principalmente, cada um dos três poderes ‘imaginar’ ser superior aos outros, causa o desequilíbrio necessário à paz social e ao crescimento de nossa economia. Não ajuda a combater o desemprego, uma das causas de nossas crises. O governo já perdeu muitas batalhas com o congresso que acabou se valorizando ao trazer para si a responsabilidade das reformas. Assim foi com a da previdência. Já está prestes a comandar a reforma administrativa. Pelo menos é o que deixou transparecer o presidente da Câmara, Rodrigo Maia. Está estampada na imprensa nacional: “Maia afirma que o Congresso irá votar a reforma administrativa no primeiro semestre deste ano”. Que reforma? É a pergunta. A que o governo enviou ou a que será modificada pelo Congresso? Aliás, o que se previa está acontecendo o ministro Paulo Guedes deve ficar de fora das negociações. O protagonismo da aprovação será creditado ao Legislativo Brasileiro. É um dos poderes da República. A palestra de Maia foi para empresários do Rio de Janeiro, onde afirmou que a ‘reforma tributária, já em discussão, terá mais debates que a administrativa’. Foi fundo na análise: “Claro que todos os sistemas onde a gente tem distorções eles estão beneficiando alguém e prejudicando milhões. Não é diferente nem no administrativo nem no tributário. Então, enfrentamentos nós teremos, mais no tributário do que no administrativo”. E aí entrou na crítica ao ministro Guedes: “Os servidores públicos devem ser tratados com respeito e uso de termos pejorativos, atrapalham o debate”. Quem sabe fazer política se aproveita de cada declaração de determinados setores do governo. A bola da vez está sendo o Guedes. A tal ponto chegou que o ministro Guedes vai receber secretários estaduais para tratar da reforma tributária. A manchete chama para a reunião. 
Sefaz se reúne com ministro Guedes
O Comitê Nacional de Secretários de Fazenda estarão em Brasília, hoje, para tratar com ministro da Economia as propostas econômicas que o governo federal quer aprovar neste ano no Congresso. Os secretários de Fazenda irão apresentar sugestões para a reforma tributária, as PECs do Plano Mais Brasil e o novo Fundeb. O presidente do Comitê, Rafael Fonteles, dá opinião que, unindo todos os impostos que incidem sobre o consumo em um único tributo, a reforma tributária pode reduzir a alíquota que incide sobre os combustíveis. Imposto único! Como eu gosto deste tema. Faz tempo que venho comentando sobre o assunto. O imposto do cheque poderia ser alto, mas único. Todos pagariam ao sacar dinheiro de sua conta. E o que é importante, o percentual de cada ente da federação, já ficaria creditado no momento da retenção em conta corrente. Evitaria a ‘viagem’ que faz a Brasília, para depois ser repartido nos mesmos percentuais dos fundos de participação dos estados e municípios. Daria menos trabalho aos contadores. Menos papel para preencher e facilidade do controle público. Quem sabe se não será agora? Evitaria tanta burocracia e, principalmente, o ‘apadrinhamento’ político para liberação de recursos. Alguém irá dizer “isso é um sonho de uma noite de verão”. Pode até ser, mas reflitam se não seria a solução para muitos problemas que passam os municípios e estados. Mais aí poderia ser criado um novo problema: Folgando nas finanças, os demais entes federados continuariam inchando a máquina pública. É um risco a ser corrido. Afinal, nem tudo são flores.           
Polícia Civil confirma laudo da perícia
Todos se lembram da confusão que deu sobre a entrada de um dos possíveis matadores da vereadora Marielle Franco, no condomínio onde vivia o deputado Jair Bolsonaro (hoje presidente da República). Levaram para a Polícia Federal que afirmou ter sido modificado e cortado, o diálogo entre o porteiro e o possível assassino. Ao apagar das luzes de ontem, quando já estava encerrando os temas da coluna, o Jornal o Dia publicou a seguinte manchete: “Polícia Civil confirma laudo da perícia do MP, sobre o diálogo do porteiro do condomínio de Bolsonaro. Documento assinado por seis peritos, também atesta que o áudio da portaria não sofreu qualquer tipo de edição e que a pessoa que autorizou a entrada de Élcio no condomínio foi o policial reformado Ronnie Lessa. Vai dar tanta confusão! A rosca aperta. Certo?


Deixe sua opinião