No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

O mês da Bíblia
Publicado em 31/08/2019

Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco (bispo de Bagé)

E-mail: cleonir@ascap.org.br
Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco (bispo de Bagé)

Setembro é conhecido como "Mês da Bíblia". A palavra de Deus é um tesouro precioso que podemos acolher e potencializar nas nossas vidas. Deus se revela a nós através da sua palavra. “Toda a Escritura é inspirada por Deus e proveitosa para ministrar a verdade, para repreender o mal, para corrigir os erros e para ensinar a maneira certa de viver; a fim de que todo homem de Deus tenha capacidade e pleno preparo para realizar todas as boas ações”. (2Timóteo 3, 16-17).
No dia 30 de setembro comemoramos a festa de São Jerônimo. Foi ele quem, no século IV, responsabilizou-se, a pedido do papa Dâmaso I, pela tradução dos textos bíblicos originais que eram em hebraico, aramaico e grego para a língua latina. Este célebre trabalho recebeu o nome de "Vulgata". A Igreja considera São Jerônimo como patrono dos estudos bíblicos.
Até pouco tempo, os cristãos, infelizmente, não eram leitores assíduos da Sagrada Escritura. Era muito difícil um contato direto com os textos da Bíblia. É verdade que contribuía para isso o pouco hábito de leitura da população, problema, aliás, que ainda não foi superado entre nós. 
 Após o Concílio Vaticano II, na década de 60, houve um grande incentivo da leitura e estudo da palavra de Deus. E a situação evoluiu muito, no Brasil e no mundo, a Sagrada Escritura tornou-se mais próxima e acessível à população. Podemos dizer que cada vez mais os cristãos estão descobrindo o valor e a riqueza da palavra de Deus.
Na Sagrada Escritura estão os fundamentos sólidos da nossa fé, acreditamos que ela contém a verdade para a salvação. Na liberdade de filhos de Deus, somos chamados a praticar e apreciar a leitura individual, mas também a leitura comunitária da Bíblia, bem como a sua meditação orante, na Liturgia.

A Bíblia é luz para os nossos passos e alimento para a nossa inteligência e coração. Pertence a todos, aos ateus e aos que creem. É o livro da humanidade. Este livro é inseparável”; porque “nas palavras da Escritura está o Senhor” afirmava Santo Atanásio. Está o Senhor, que pela palavra tudo criou “Gn 1,3ss e Sb 9,1”, portanto, é criadora, eficaz irrevogável (Hb 4,12). Realiza o que promete: “Não volta sem ter produzido seus frutos, sem ter cumprido sua missão” (cf. Is 55,10-11). Por isso, devemos dizer como Samuel “fala, que teu servo escuta” 1Sm 3, 9-10. Depois de ter falado de muitas maneiras pelos profetas, Deus falou através de seu próprio filho Jesus Cristo (cf. Hb 1,1-3). É preciso ouvi-lo e obedecer-lhe. Por isso, afirma Paulo “não me envergonho do Evangelho”... (cf. Rm 1,6). A palavra do Senhor não passará jamais. A Bíblia não pode ser anulada (cf. Jo10,35). Ademais o que foi escrito para nossa instrução, foi escrito. Que tenhamos esperança e coragem... (cf Rm 15,4). 
Se a palavra dos homens é tão importante, quanto mais será a palavra de Deus. Ela será luz para a pessoa, proposta de vida para a família, salvação para a humanidade. Feliz quem ama a palavra do Senhor e a vive. Que Deus lhe abençoe. Paz e bem!
 


Deixe sua opinião