No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Luzes e sombras
Publicado em 24/05/2019

Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco (bispo de Bagé)

E-mail: cleonir@ascap.org.br
Dom Frei Cleonir Paulo Dalbosco (bispo de Bagé)

Num dia desses, voltando de um compromisso, consegui prestar atenção ao brilho da lua. Olhei também para seu formato. Era lua cheia. Fazia tempo que não dedicava uns instantes para erguer a cabeça e direcionar o olhar para o céu. O pensamento me transportou à infância: quando éramos pequenos, lá no interior, tínhamos um maior contato com a natureza. Como toda criança, tentávamos contar as estrelas, observávamos os vários formatos da lua, prestávamos atenção na claridade que anunciava a chegada de um novo dia e, também, no poente do sol. O advento da eletricidade modificou completamente essa percepção. As casas estão iluminadas, poucos sabem como é o anoitecer. A grande maioria vive distante dos movimentos das estações do ano e do impacto das mesmas nos cenários e nos espetáculos da natureza. Eu e meus irmãos prestávamos atenção no movimento do sol, pois residíamos numa planície, rodeada de morros. A sombra chegava primeiro na casa, depois cobria, aos poucos, as montanhas e, sem que percebêssemos o exato momento, a noite tomava conta de todos os recantos. Pensando bem, a vida sempre presenciou sombras e luzes. Evidentemente mais luzes do que sombras. Os dias continuam acontecendo, mesmo que não estejamos atentos, na harmoniosa intercalação entre noite e dia, sombras e luzes, sol e chuva, frio e calor. A natureza não se rendeu à tecnologia. As pessoas, sim, estão mais focadas nos inventos que prendem a atenção, mas pouco falam ao coração. Passa-se mais tempo nas redes sociais e cada vez menos interagimos com a riqueza e a inspiração advindas da mãe terra.
A vida de cada um de nós está cotidianamente imersa na luminosidade e, também, em momentos de escuros. Luzes e sombras invadem o coração, deixam rastros, provocam sentimentos, ensaiam sorrisos e derramam lágrimas. Cada vez mais é preciso ter a habilidade de fazer escolhas. É importante saber que algumas sombras se apresentarão, ao longo dos dias. Porém, ninguém foi feito para a escuridão. A vida é capaz de espalhar muita luz, enquanto visita os caminhos do mundo. Cada um, fazendo uso da sua liberdade, pode optar pela luz e dar passos significativos, rumo à felicidade. Que não falte paciência quando a sombra se apresentar e insistir permanecer, lado a lado. Quem conhece a sombra tem mais força para alcançar a luz. O pensamento voltou ao tempo da infância. Quando anoitecia, o fogo deveria estar aceso, o caldo para a sopa deveria estar fervendo. Depois do humilde jantar, ainda restava uns instantes para contemplar o brilho da lua. Em seguida o sono chegava para devolver as forças e começar tudo novamente, no amanhecer de um outro dia.
Queridos e amados: que essa passagem, luzes e sombras, nos ajude a pensar, refletir e valorizar a beleza que existe na obra do Criador. Que possamos cuidar e valorizar ainda mais as maravilhas que o Senhor fez para nós. Que o Senhor vos abençoe! Paz e Bem!

Bispo de Bagé
Email: cleonir@ascap.org.br
www.diocesedebagé.com.br


Deixe sua opinião