No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Uma grande conquista para o nosso meio ambiente
Publicado em 24/02/2017

Divaldo Lara

Prefeito de Bagé
Divaldo Lara

Prefeito de Bagé

Há algum tempo observo a forma como são conduzidas as questões relacionadas ao armazenamento dos resíduos sólidos de nossa cidade. Tanto o que se refere ao aterro sanitário, transformado em “lixão”, quanto à propalada coleta seletiva, anunciada com entusiasmo há três ou quatro anos, mas que não faz parte do dia a dia da comunidade. Infelizmente.
O lixo é uma pauta do mundo, os órgãos de proteção ambiental forçam-se à rigidez na fiscalização de ações protetoras, porque falta consciência e responsabilidade para com o meio ambiente.
Nos oito anos em que estive na Câmara Municipal de Vereadores acompanhei o tema e vi os absurdos cometidos, principalmente por descaso e desinteresse. Fui parceiro do vereador Carlinhos do Papelão nos alertas referentes à falta de responsabilidade com o lixo da cidade.
O problema se tornou tão grave que uma estranha medida foi tomada: ao invés de encontrar uma solução eficaz e prática no próprio aterro do município, o lixo de Bagé passou a ser transportado para Candiota por R$ 400 mil ao mês.
Armazenamento, transbordo, triagem, transporte, enfim, tudo irregular. A Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) e o Ministério Público (MP) tiveram de intervir. A determinação: selar a  célula 5 e construir a célula 6. Nada foi feito.
Ou seja, quando assumimos a prefeitura, em janeiro, tudo que se relacionava ao aterro sanitário estava fora da lei. E o lixo passou a ser preocupação constante do nosso governo, em especial minha, do secretário Aroldo Quintana e, por consequência, do Conselho de Defesa do Meio Ambiente.
Não perdemos tempo e constatamos que faltava interesse em resolver o problema.
Conseguimos, na semana passada, na Fepam, a licença prévia para regularizar o funcionamento do aterro sanitário. Iniciamos uma limpeza no local, estamos realizando o planejamento de ações para o selamento da quinta célula e já começar a construção da sexta célula.
Além de revitalizar o aterro, a abertura de um novo local permitirá o armazenamento do lixo de Bagé pelos próximos 15 anos, dentro da lei. 
Isso representa uma economia de R$ 2,4 milhões em seis meses.
A situação deixada pelo governo anterior gerou uma multa por crime ambiental em torno de R$ 1,2 milhão, que somado ao transporte e armazenamento dos resíduos, em Candiota, por um semestre, chega ao total de R$ 3,6 milhões de economia. Este gasto  não ocorrerá porque conseguimos fazer uma gestão eficiente, responsável e que prioriza os grandes temas da cidade.

Cidade limpa
Ontem à tarde, uma breve tormenta alagou inúmeras ruas da cidade. A falta de água preocupa tanto quanto o excesso. Mas, para o excesso o problema é de conscientização, de aproximar o cidadão dos serviços oferecidos para o seu bem-estar, é de cidade limpa e comunidade comprometida. Temos de trabalhar a questão do lixo, que suja e entope as galerias e bocas de lobo, a partir das escolas e das associações de bairros, temos de chegar aos lares de Bagé, fazer compreender que a cidade é de todos e todos são responsáveis pela sua limpeza. Jogar lixo na rua representa a simbologia do início de um processo de descaso. É uma ação que deve receber o cuidado do município, inibi-la de forma a compreendê-la como um ato nocivo, desbravador de males maiores, porque quem vê a cidade suja por objetos jogados em calçadas e meios-fios sente-se incentivado a fazer o mesmo. É como um sinal de descaso do governo e do cidadão, em conluio.
E é essa cultura que tem de mudar. Investir na educação ambiental é um princípio fundamental para mudar os hábitos e os costumes de uma população, mas de nada valerá se o exemplo não vir do poder público, do zelo e do cuidado com os equipamentos municipais, praças, escolas, postos de saúde, enfim, manter a cidade limpa só será possível se a colaboração for mútua. Porque uma pessoa que chega em um ambiente limpo tende a se impor à higiene que o lugar exige. Assim é com uma cidade. Assim deve ser com Bagé.
Para quem pretende uma nova cidade, o caminho é claro e começa pela limpeza.  



Deixe sua opinião