No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Tratamos de forma diferente as pessoas com deficiência
Publicado em 25/08/2017

Divaldo Lara

Prefeito de Bagé
Divaldo Lara

Quando decidimos, ainda no ano passado, que a Secretaria Municipal de Saúde de Bagé deveria ter, entre suas prioridades, a pessoa com deficiência, e, mais que isso, um departamento ou coordenadoria exclusiva, concluímos também que essa atenção especial tinha de estar no “nome” da secretaria, aparecer em todos os papéis, crachás, frentes de postos e centros de serviços da Saúde de Bagé. Algo que desse significado à prioridade, que se tornasse claro aos familiares, amigos e as próprias pessoas com deficiência.
Sei que o secretário Mário Mena Kalil e eu fomos muito felizes e iluminados quando escolhemos para coordenar o setor a Cimone Barbosa Gonzales Halberstadt, presidente da Associação Bageense de Pessoas com Deficiência (Abadef), incansável em sua luta na busca de que se cumpra a legislação, de que se ofereça as condições para a dignidade de quem protagoniza a Abedef.  Cimone é sincera e autêntica nessa trajetória que percorre e que começou graças ao seu filho, Hermann.
A 1ª Mostra de Ações e Serviços para Pessoa com Deficiência, que ocorreu quarta-feira, no Ginásio Auxiliadora, tem um significado especial para pessoas e instituições que realizam um trabalho de abnegação, de esforço e que na maioria das vezes não é compreendido.
A mostra faz parte da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência, que começou no dia 21 e irá até 28 de agosto. Estiveram presentes a Apae, o Doce Prazer de Viver, a Associação dos Deficientes Visuais, o IFSul, a Urcamp, a 7ª Coordenadoria Regional de Saúde (Serviço de Saúde Auditiva), o Senac, as secretarias municipais de Assistência Social e Educação, o Conselho Municipal de Saúde e, durante o evento, 350 pessoas registraram sua visita no Ginásio Auxiliadora. Destaque, também, para o palestrante, Rafael Guiguer, formado em Engenharia de Produtos pela UFRGS, que é cego. Ele abordou o tema mercado de trabalho para o deficiente.  
 Na ocasião, o IFSul, através do professor Leandro Camargo, fez a demonstração de um aplicativo para alertar pontos de falta de acessibilidade na cidade. E, assim, durante o dia, aconteceram palestras multidisciplinares, conferências e apresentações artísticas. Familiares puderam trocar experiências.
A mostra atingiu seu objetivo. A ideia foi integrar a população, profissionais e gestores e transversalizar essa conversa que é compromisso de todos.
Achei interessante esse conceito da coordenadora Cimone: a pessoa com deficiência faz uma pausa em nossas vidas, porque nossos dias são tão corridos que, às vezes, a gente não tem tempo para pensar que todos nós, um dia, podemos ter uma limitação.
Estou muito feliz porque o caminho está sendo percorrido com sucesso. Sei que o secretário Mário Mena está trabalhando para integrar os serviços e realiza uma série de medidas com o objetivo de proporcionar atendimento da melhor qualidade a esses cidadãos.
Agradeço a todos que acolheram nosso convite para participar dessa primeira mostra. Outras virão. Temos muito a fazer e queremos fazer, como defende Rafael Guiguer ao explicar que tratar de forma diferente as pessoas que, entre si, são desiguais, representa a verdadeira justiça e caminho para o equilíbrio social.
 
 
 

Deixe sua opinião