No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

É preciso ter esperança no Brasil
Publicado em 26/05/2017

Divaldo Lara

Prefeito de Bagé
Divaldo Lara

Divaldo Lara – prefeito de Bagé
 
Estamos vivendo semanas avassaladoras para a política brasileira. Já não bastava a confiança que o povo brasileiro depositou no sindicalista do ABC paulista e seus asseclas, agora uma avalanche de denúncias, delações e gravações colocam por terra o resquício de esperança de uma nação. Com tais revelações, as pessoas demonstram a tristeza visível que passa a tomar conta da vida dos brasileiros, como se não houvesse amanhã para o país. Afinal, ter sua crença no ser humano dissipada de forma tão abrupta é algo que surpreende e revolta.
No entanto, a gente sabe que o Brasil é maior que tudo isso. Todos nós sabemos que o povo brasileiro é forte e lutador, vence barreiras todos os dias: da falta de emprego ao salário baixo, da dificuldade na assistência médica à escassez de vagas nas creches. Nem por isso desiste; nem por isso deixa de fazer deste país tropical a nação da alegria, da paz, da esperança.
Esperança é o que devemos cultivar neste momento.  
Desistir é entregar-se ao inimigo.
Abandonar o campo de luta é entregar a vitória ao adversário.
Antes de mais nada, é urgente que saibamos que a maioria da população é honesta, trabalhadora e batalha para dar o melhor para a sua família.
Antes de mais nada, é urgente que compreendamos que a decepção é normal, mas perder a esperança é desistir da vida, isso não podemos fazer.
Antes de mais nada, é urgente que façamos o que sabemos fazer de melhor: trabalhar com fé. 
Permitam que lhes conte algo que aconteceu no início do ano. Ao assumir a prefeitura, a cada informação que recebia de um secretário, assessor ou mesmo um servidor de carreira sobre as condições dos prédios, dos equipamentos, dos projetos e das contas do município, ficava tão indignado que minha vontade era denunciar tudo com muita raiva; minha vontade era ir para a rádio avisar aos bageenses o que estava acontecendo e correr para a delegacia mais próxima fazer um boletim de ocorrência. Só quem viu de perto como estava o patrimônio deixado, um verdadeiro lixo, total descaso com a coisa pública, compreende a minha indignação.  
Mas, como agora peço que tenham esperança no Brasil, em janeiro confiei que, com trabalho, poderia superar tudo aquilo. Trabalho e fé. Acredito que estamos conseguindo fazer uma nova cidade, claro que não é da noite para o dia. Mas vamos chegar lá.
Por outro lado, compreendo que é difícil, por tudo o que foi denunciado e mostrado ao país, ter esperança em dias melhores. Porém, por favor, não desistamos. Não sejamos pessimistas. Se mantivermos a fé, haverá esperança. 
E esperança é vida.  
 
Corujinha – creche noturna
É até amanhã o prazo para matricular seu filho na Corujinha Creche Noturna, uma ideia da vereadora Marina Portela que a secretária de Educação Adriana Lara abraçou de coração.
Esta é uma ação que vai atender crianças na faixa etária de 4 meses até 5 anos, mas contempla principalmente aquelas mães que, muitas vezes, não têm com quem deixar seus filhos para trabalhar ou mesmo para dar continuidade aos seus estudos. A Corujinha abre a partir de segunda-feira, das 18h30min às 22h30min, onde é a Escola Marianinha Lopes, ao lado da Receita Federal.  Essa é uma iniciativa piloto, para balizar todas as outras no mesmo sentido.
 

Deixe sua opinião