No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Após 100 anos, Bagé tem novo reservatório de água
Publicado em 23/08/2019

Divaldo Lara

Prefeito de Bagé
Divaldo Lara

Muito se ouve falar a respeito da vontade dos bageenses em ver a Barragem da Arvorezinha pronta. Uma demanda histórica de mais de 30 anos.
Mas a demanda sobre a água, que iniciou há décadas com a necessidade da barragem, ao longo do tempo, passou a requerer outras medidas complementares. Hoje, além dela, os bageenses precisavam também de um novo reservatório para armazenamento da água após tratada. O que tínhamos em uso até hoje, datava de 1919. Ou seja, 100 anos, é feito de pedra e já não comportava mais a cidade inteira, tendo em vista sua expansão ao longo do tempo.
Outro ponto referente ao antigo reservatório é que, como único disponível na cidade, havia dificuldade para realizar a limpeza de impurezas e do acúmulo de ferro e manganês, pois durante essa manutenção, a cidade inteira precisaria ficar desabastecida por muitas horas. Quem não lembra do ano de 2015 quando muitos lugares passaram a receber água de cor turva nas torneiras e que, logo após, nossa ação e exposição, ainda na Câmara, resultou na limpeza do reservatório, que há oito anos não recebia essa manutenção?
Para resolver em definitivo essa situação, em abril do ano passado, iniciamos o processo de compra e contratação da empresa para montagem do novo reservatório. A nova estrutura, importada dos Estados Unidos e com tecnologia de ponta, passou por testes após a conclusão da obra. Agora, entrou em funcionamento, fornecendo água de qualidade para os bageenses, inclusive, aos lugares mais distantes, que em períodos de maior consumo,  passavam a receber com dificuldade devido à falta de pressão liberada, quando o estoque baixava.
Estamos também trabalhando para a renovação dos filtros que tratam a água, o que ocorre antes do armazenamento e também na restauração do reservatório antigo para que continue a ser usado, complementando o novo, aumentando bastante a reserva de água de quatro milhões de litros do novo, o que por si só, já é suficiente.
Sobre a barragem, continuamos a trabalhar por ela, o que temos feito desde a primeira semana do nosso governo. Muitos não sabem, mas pegar uma obra cheia de problemas é mais complicado do que iniciá-la do zero. Imagina então, quando se trata de uma obra que, além de realizá-la, é preciso prestar contas do que já não foi feito no passado. Alguns ainda me perguntam por que fico relembrando o passado. Justamente por problemas do presente, que são travados pelos incessantes erros do passado e a barragem ilustra muito bem isso. Você sabia que, para iniciarmos a obra, os bageenses terão que devolver do recurso do seu imposto o valor de R$ 5 milhões de, fruto da falta de prestações de contas deste recurso no passado? Não me peçam para esquecer do passado, enquanto ele afeta diretamente a sua vida e o seu bolso, pois, além de continuar sem a obra, teremos que devolver este enorme montante, que poderia ser utilizado em outras melhorias para a cidade. 
E se não devolvermos os R$ 5 milhões, sabe o que ocorre? Teremos que devolver R$ 19 milhões, que foi o total utilizado na obra, até o momento de ser embargada.  
Voltando ao novo reservatório é mais uma conquista, tão importante quanto a barragem - uma obra centenária, de uma importância extraordinária para o crescimento e desenvolvimento da nossa cidade. 
Uma obra do nosso governo, articulada com o trabalho do Daeb e com o devido investimento. O novo reservatório de água já é uma realidade.


Deixe sua opinião