Um antigo ferreiro de Bagé
Publicado em 14/07/2017

Cid M. Marinho

Cidade: Bagé / RS
Cid M. Marinho

Foto: Divulgação/FS

Jair da Silva Freitas nasceu no dia 3 de dezembro de 1948. Filho de Alexandre e Dinair. Jair estava com 9 anos quando começou a trabalhar como auxiliar na ferraria de seu pai. Em 1968, Jair entrou para o Exército e trabalhou como ferrador de cavalos, por dois anos. Depois que saiu do Exército, voltou para a “Ferraria Gaúcha”, localizada na rua 18 de maio, perto da Praça das Carretas. Naquele local, vem trabalhando já há quase 60 anos e tornou-se um especialista em aprumos, que são ferraduras ortopédicas para cavalos. Também fabrica ferros para marcar cavalos e gado.
Suas principais ferramentas de trabalho são: forja, bigornas, marretas, tenazes, talhadeiras, canaletas e estampas para fazer o “ferro de unha”, usado pelos cavalos de corrida. Atualmente, os maiores clientes de Jair são os proprietários de haras e cabanhas.
Jair gosta de esportes, pratica caminhadas e corridas. Aos 14 anos foi aluno do lendário João Carlos, o maior “lutador de boxe” que já existiu em Bagé. Também gosta de futebol, de pescarias e de caçadas. É casado com Julieta Socca, com quem teve os filhos Sandro, Luciana e Marina.
A título de curiosidade: na fachada da ferraria de Jair tem uma placa, adquirida por seu pai, imitando a figura de um cavalo preto. Ela pertenceu a outro antigo ferreiro de nome Pasqual Varniere e foi adquirida, em 1935.

Deixe sua opinião