No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Roy Rogers
Publicado em 17/10/2016

Cid M. Marinho

Cidade: Bagé / RS
Cid M. Marinho

Foto: Alicia Ibañes/Especial FS

Leonard Franklin Slye interpretou, por muitas décadas, o famoso cowboy do cinema "Roy Rogers". Logo que estrelou seu primeiro filme (foram mais de 80 no total), em 1938, Rogers foi recebido com muito carinho pelos fãs de faroeste. E, graças ao seu talento, em 1952 (quando o "Western B" estava entrando em decadência), ele foi convidado para atuar na então emergente televisão. A série "The Roy Rogers Show" permaneceu no ar até 1975 e contou com 101 episódios. O ator morreu em 1998, mas ainda é lembrado com muita admiração pelos seus fãs, fato comprovado pela afluência constante de visitantes ao "The Roy Rogers Museum", localizado em Branson, no Missouri.
No Brasil, Roy Rogers ganhou revista de histórias em quadrinhos em 1952, publicada pela Editora Brasil-América. A publicação durou oito anos, chegando à centésima edição, em abril de 1960. A "Ebal" não perdeu tempo e, em maio daquele ano, lançou uma segunda série, partindo novamente do número um, numa estratégia editorial para atrair novos colecionadores. Esta ação encerrou em dezembro de 1963, com a 44ª edição. E, depois de um intervalo de três anos, a "Ebal" ressuscitou a revista. Mas, desta vez, a série durou apenas 19 edições, encerrando em julho de 1967. Mais seis anos se passaram e, em 1973, a "Ebal" resolveu arriscar uma nova série: com apenas 16 páginas e qualidade gráfica inferior - cancelada em outubro de 1975.
Curiosamente, durante os 23 anos que a Ebal teve os direitos de publicação das revistas do "Rei dos Cowboys", jamais publicou um almanaque. Um fato até inexplicável, levando-se em conta que a Editora "adorava" lançar almanaques e que Rogers era um verdadeiro campeão de vendas.

Deixe sua opinião