Odete Lara
Publicado em 23/10/2017

Cid M. Marinho

Cidade: Bagé / RS
Cid M. Marinho

Foto: Reprodução/FS

Odete Righi Bertoluzzi, mais conhecida como Odete Lara, nasceu no dia 17 de abril de 1929, em São Paulo. Filha de imigrantes italianos, ficou órfã de pai e de mãe aos 18 anos de idade. Seu primeiro emprego, foi como secretária e datilógrafa. Foi uma amiga que convenceu Odete a fazer um curso de modelo no Museu de Arte Moderna de São Paulo. A beleza dela fez com que Otomar dos Santos a indicasse para trabalhar na TV Tupi, de Assis Chateaubriand. Odete começou como garota-propaganda, na televisão, e, em seguida, participou da novela "Luz de gás", com Tônia Carrero e Paulo Autran. Depois, se tornou "estrela" e participou das telenovelas: "As bruxas", "Em busca da felicidade", e "A volta de Beto Rockfeller". Foi contratada pelo Teatro Brasileiro de Comédia, e estreou na peça "Santa Marta Fabril", dirigida por Adolfo Celi.
Seu primeiro filme para o cinema foi "O gato de madame", ao lado de Mazzaropi, em 1956. E seu último filme foi "O princípio do prazer", de 1979. Odete também foi cantora no espetáculo "Skindô" ao lado de Vinícius de Moraes. Também cantou no espetáculo "Eles e ela", com Sérgio Mendes. E com Chico Buarque, no espetáculo "Meu refrão".
Odete abandonou a sua carreira no auge, converteu-se ao budismo e partiu para um autoexílio num sítio de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro. Publicou três livros autobiográficos: "Eu nua", "Minha jornada interior" e "Meus passos na busca da paz". Também traduziu várias obras do budismo.
Foi casada com o dramaturgo Oduvaldo Vianna Filho, e com o diretor de cinema Antônio Carlos Fontoura. Namoradeira assumida, também teve um relacionamento com o novelista Euclydes Marinho. Odete Lara morreu em 4 de fevereiro de 2015, aos 85 anos, vítima de um infarto enquanto dormia. Seu corpo foi cremado no Cemitério Luterano, de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro. 

Deixe sua opinião