No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

O último caieiro de Bagé
Publicado em 11/07/2019

Cid M. Marinho

Cidade: Bagé / RS
Cid M. Marinho

Foto: Alina Souza / Especial FS

Boneval Pacheco Rolim, nasceu em 5 de julho de 1926, na região de Olhos D'Água, interior do município, filho de Norival Rolim e de Idorilda Pacheco. Teve vários irmãos, porém alguns já morreram. Estão vivos: Osvaldo, Cerlei, Dorvalina e Orgalina. Com apenas 1 mês de idade, Boneval e a família se mudaram para Bagé, fixando residência próxima à antiga “pedreira dos Nocchi”, no bairro São Judas. Começou a trabalhar como quitandeiro aos 8 anos de idade; depois, vendeu carvão até os 30. Casou-se com Gelcy, com quem teve os filhos Valdir, Nelta, Jesus Carlos, Luís Carlos, Cleusa e Rubismar. Em 1945, o irmão Osvaldo arrendou a “caieira dos irmãos Nocchi” e convidou Boneval e outros da família para trabalharem como sócios. Depois de alguns anos, Boneval se torna o chefe da caieira. Por mês, em dois fornos cerca de 10 toneladas de pedra cal eram torradas. No final de cada “fornada”, Boneval bancava galinhada ou carreteiro com bebidas para todos os auxiliares. O cal era extraído da pedreira dos Nocchi e levado até os fornos que ficam num terreno próximo do Estádio do Guarany. Inclusive, foram tombados por lei municipal. Boneval continuou arrendando a caieira até 1980, quando parou de trabalhar por causa de problemas de saúde. No dia 5 de julho, ele completou 93 anos de idade, quando em concedeu esta entrevista. Atualmente, está morando na casa da filha Cleusa.  

Deixe sua opinião