No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

O Marechal Emílio Luiz Mallet
Publicado em 23/04/2018

Cid M. Marinho

Cidade: Bagé / RS
Cid M. Marinho

Foto: Alina Souza / Especial FS

Nasceu em Dunquerque, na França, em 10 de junho de 1801. Era filho de Jean Antoine Mallet. Chegou no Brasil com 17 anos de idade, acompanhado dos pais e irmãos, fugidos da "dominação napoleônica". Aos 20 anos ingressou na vida militar, como cadete, em 13 de novembro de 1822. No ano seguinte foi admitido no curso de artilharia da Academia Real Militar.
Integrou o 1º Corpo de Artilharia Montada da Corte, embarcou para o Sul, para participar da campanha da Cisplatina, como comandante de uma bateria. Após a batalha do Passo do Rosário, onde se distinguiu pela bravura, foi atuar como capitão, na "Fronteira de Jaguarão". Em agosto de 1828, acampou nas margens do Arroio Candiota, quando conheceu o coronel Antônio Medeiros Costa, um forte fazendeiro, que morava com a sua família, na "estância do Quebracho".
As ligações de Mallet, com a família do coronel Medeiros, foram consequência da amizade de ambos, nos acampamentos. Mallet casou com Joaquina Castorina de Medeiros, filha daquele comandante, e o casamento aconteceu na "Capela de São Sebastião", em fins de 1828.
Mallet participou na "Revolução Farroupilha", depois como major da Guarda Nacional, comandou a fortificação de Rio Grande. Em 23 de março de 1861, foi condecorado com o hábito da ordem de São Bento de Aviz. Atuou na guerra contra o Paraguai, e de 1871 a 1885, exerceu as funções de comandante da fronteira, e inspetor da Cavalaria e da Artilharia no Rio Grande do Sul.
Foi homenageado com os títulos: Barão de Itapevy, e patrono da Artilharia do Exército Brasileiro. Os seus três filhos, igualmente militares, honraram seu digno nome, acompanhando-o em campanha. São eles: major João Nepomuceno; tenente Pedro Félix; e o Alferes Antônio Júlio.
Mallet morou em Bagé, São Gabriel e Porto Alegre, sempre acompanhando seu exército. Só quando adoeceu, que foi buscar mais recursos, no Rio de Janeiro, onde morreu em 2 de janeiro de 1886, aos 84 anos de idade.
Fonte de consulta: Inventário Cultural de Bagé, de Elisabeth Macedo de Fagundes. Praça da Matriz, Editora. 

Deixe sua opinião