No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Valorização do professor 
Publicado em 10/10/2019

Folhinha

Foto: Reprodução/FS

página 3

Com tantas mudanças pelas quais a Educação vem passando nas últimas décadas, a importância do educador no processo de aprendizagem também tem sido questionada. A interação professor-aluno, hoje, é muito mais dinâmica. O professor deixou para trás a função de mero transmissor de conhecimentos para se tornar um orientador, um estimulador que guia os alunos na construção dos próprios conceitos, valores, atitudes e habilidades.

A importância do educador no processo de aprendizagem dos alunos

Na semana de homenagens pelo Dia do Professor, comemorado no em 15 de outubro, o Folhinha usa o trabalho deste profissional, como tema para reflexão.
Numa sociedade cada vez mais acelerada e exigente, os desafios da atualidade requerem educadores competentes, criativos e ousados, que apresentem novas propostas para um mundo em constante mutação. 
O professor, já na Educação Infantil, deve desempenhar o papel de mediador. Na fase de alfabetização, a criança, detentora do próprio conhecimento e bagagem, precisa de alguém capacitado para estimular e mediar esse processo. Nessa etapa, o estudante deve receber estímulos constantemente para aprender a questionar e a levantar hipóteses. Cabe ao professor fazer o aluno exercitar o raciocínio lógico, a criatividade e a imaginação. É por meio da experimentação que ele alcança os resultados.
Os avanços tecnológicos também contribuíram para a transformação da figura do professor. Ele deixa de se apresentar como detentor do conhecimento para assumir o papel de gerenciador de informações, orientando os estudantes no processo de aquisição do conteúdo. 
O mercado de trabalho vem buscando e valorizando profissionais criativos e que conseguem oferecer soluções inovadoras nas mais diversas áreas. O bom professor precisa estar ciente que é seu papel ajudar a formar tais profissionais, assumindo o compromisso com o sucesso dos alunos. Crianças e jovens adequadamente estimulados se tornarão facilmente adultos bem-sucedidos. 
No entanto, ajudar o aluno a desenvolver a criatividade é tarefa complexa – requer mais do que simples domínio do conteúdo. De maneira geral, ser criativo tem mais a ver com “desaprender” antigas formas de pensar do que com adquirir habilidades e conhecimentos específicos. A formação de pessoas criativas somente é possível a partir do aprendizado que tem por base a experimentação e a interação com os colegas. O responsável por conduzir esse processo é o professor, que, dessa forma, contribui significativamente para o sucesso e a realização de futuros cidadãos.
Dicas para valorizar o professor do seu filho
Para o trabalho do professor ser de fato bem-sucedido, é fundamental a contribuição dos pais, que devem confiar e acreditar no trabalho da escola. Pais seguros passam confiança aos filhos, facilitando a relação professor-aluno. 


Conheça algumas ações simples que ajudam a garantir a valorização do educador
Respeitar o professor. Ensine os filhos a respeitarem o professor - afinal, ele será o grande parceiro no processo de aprendizagem.
Ser um aluno aplicado. Estimule que a criança tenha postura de estudante (respeitar os horários de entrada e saída e manter cadernos organizados, por exemplo). Escutar os colegas. Oriente ouvir o professor e os colegas.
Valorizar o professor. Valorize o professor sem qualquer preconceito de gênero, idade, raça etc. E lembre-se que ele estudou e se preparou para exercer a função.
Participar da educação dos filhos. Frequente as reuniões e os demais eventos da escola (saraus, festas, eventos esportivos, entre outros). Ser amigo do professor. Estabeleça uma parceria com ele, acompanhando a formação a criança.
Apoiar as ideias do professor. Aprecie as iniciativas do professor, como a ideia de reunir as produções das crianças em um livro ou de fazer uma apresentação para a comunidade.
Educar não é só na escola. Compreenda que os papéis da escola e da família são complementares - cabe à primeira favorecer o desenvolvimento das capacidades da garotada e à segunda, acolhê-los num ambiente provedor e afetivo.


Fonte: Educar para Crescer e Editora Positivo

 

Deixe sua opinião