No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Sobre duas rodas
Publicado em 06/02/2020

Folhinha

Foto: Divulgação/FS

Há variedade de opções no mercado

Sobre duas rodas

O FKids de hoje apresenta uma série de novidades no mercado para aqueles pais que querem investir em uma bicicleta para os pequenos. A sugestão é mesmo se divertir sobre duas rodas durante as férias e dar um tempo de tablets, celulares e computadores. A criançada e os pais têm muito a ganhar com o que as magrelas podem proporcionar.

A primeira bicicleta

Ainda há muito verão pela frente e o período pode ser a oportunidade para os pais ensinarem as crianças a andarem de bicicleta e ficarem um pouco mais afastadas de toda a tecnologia disponível. Atualmente, há várias opções no mercado que facilitam o aprendizado dos pequenos. O empresário Heron Regert exemplifica que uma delas é por meio da pré-bike ou balance bike: trata-se de uma bicicleta aro 12, sem pedais e sem rodinhas, indicada para crianças a partir dos 2 anos. Com ela, a criança não aprende a pedalar, mas o principal, que é se equilibrar. Conforme elucida Regert, pedalar é a parte mais fácil, que pode ficar para depois, em uma bicicleta aro 16.  "Com a bicicleta aro 12, a do equilíbrio, a criança vai caminhando e conforme se equilibra aumenta esse passo. Aos poucos está 'voando' com a bicicleta". E a hora que pega a com pedal está com o equilíbrio pronto. “Depois, para tirar as rodinhas vai ser rápido", detalha.

Ele argumenta que uma das vantagens da bicicleta de equilíbrio é o trabalho de coordenação motora, "melhor do que com a 12 com pedal". Além disso, o custo da bicicleta de equilíbrio é menor do que o da bicicleta tradicional - ela é, em média, R$20 mais barata que o modelo com pedal. 

E Regert, que é pai de uma menina de 4 anos, avalia que a criança aproveita muito mais a bicicleta de equilíbrio, pois ela consegue usá-la dos 2 aos 5 anos. Ele, inclusive, relata que a filha já tem uma bicicleta aro 16, mas continua brincando com a bicicleta de equilíbrio, que fica em meio aos brinquedos. "Não deixa de brincar, tem mais mobilidade e habilidade com a de equilíbrio, e acaba usando as duas", diz. Ele enfatiza, assim, que a bicicleta de equilíbrio é "uma escola e tanto" para os pequenos.

O empresário destaca alguns cuidados que devem ser tomados na hora de escolher a próxima bicicleta da criançada. As bicicletas aro 12 e 14 sequer são consideradas bikes, mas, sim, brinquedos. Entre as diferenças delas comparadas as bicicletas de aro 16, por exemplo, é o fato de não terem esferas, mas, sim, buchinhas de plástico no lugar.

Nas bikes de aro 16 vale considerar o quadro, que pode ser baixo e ainda mais baixo, o que pode facilitar o subir e o descer, evitando que a criança se machuque. Outro detalhe que deve ser avaliado é o guidão: no modelo cross é mais próximo da criança. 

Parafusos não expostos evitam que os pequenos se machuquem e o freio não deve ser pesado, já que a criança não tem força nas mãos. Modelos com protetores na coroa e na corrente também são seguranças que valem o investimento, evitando o contato dos dedos com a engrenagem. 

Outra boa opção é por modelos cujas rodinhas laterais não sejam fixas junto ao eixo, o que diminui a chance das rodinhas ficarem frouxas e também de interferirem no ajuste das rodas. Aquelas com dois pontos de fixação são boas alternativas para a criança que andará sobre um solo irregular. 

Questão de costume e educação

Regert pontua que vários itens são indispensáveis não só por questão de segurança, mas por serem determinantes para a formação de bons motoristas. O uso do capacete é imprescindível, e a dica é sempre mostrar para a criança que o item é um amuleto. Ele argumenta que assim como a cadeirinha de segurança nos carros, o uso do capacete ensina aos pequenos a valorizarem os itens de segurança e isso fica enraizado no futuro motorista. Quando adulto, ele considerará o cinto de segurança imprescindível, assim como o capacete, tanto para pedalar quanto para dirigir uma motocicleta. "E qualquer queda, qualquer batidinha na cabeça pode ocasionar um traumatismo craniano, ainda mais em uma criança que está em formação", pontua. 

Todos têm a ganhar

Regert finaliza ao enfatizar que, com a bicicleta, o trabalho de coordenação motora é algo incrível, e que a criança ganha muito em habilidade, destreza e  noção de espaço, além de aprender com mais facilidade o que é direita e esquerda, por exemplo. Inclusive, menciona que uma marca de bicicleta se preocupou em colocar a cor amarela no lado do freio principal, o que ajuda no aprendizado, já que amarelo, no trânsito, é atenção. 

"A bicicleta é uma escola para vida. Quem não tem uma história com a bicicleta de quando era pequeno, ou porque ganhou a bicicleta de alguém especial ou porque foi em uma data especial. A bicicleta faz parte da história sempre", destaca.

Por fim, ele faz um convite aos pais: "Vamos fazer a criançada pedalar, vamos tirá-las de frente do celular, da televisão e colocar as crianças na atividade".

Deixe sua opinião