Cuidados na hora do desfralde dos pequenos
Publicado em 18/09/2013

Folhinha

Foto: Divulgação/FS

Tirar as fraldas das crianças é um processo que exige atenção e sensibilidade, para que não acarrete problemas posteriores. É preciso respeitar o ritmo de cada um e, para isso, os pais precisam estar atentos a cada sinal da criança.
A psicóloga Catiéli Malaguez Marques explica que não há regras para o desfralde. “Sabe-se que o desfralde é indicado quando a criança se mostra mais independente e autônoma. Normalmente, por volta dos 2 anos de idade ela já está pronta, mas cada criança tem o seu tempo e é importante respeitar”, diz.
Catiéli destaca que forçar o processo pode acarretar problemas como incontinência urinária e intestino preso. “A criança precisa estar pronta física e emocionalmente, e ela irá, aos poucos, demonstrar de uma forma única e peculiar se está na hora de deixar as fraldas”, afirma.
A psicóloga ressalta que a criança dá sinais de quando está pronta. “Os pais devem ficar atentos aos sinais e observar se já consegue ficar com a fralda seca durante um período do dia, se está reclamando das fraldas sujas ou molhadas, se tem curiosidade pelo vaso sanitário, cuecas ou calcinhas, se tem um horário para fazer coco, se consegue obedecer a ordens simples, se consegue abaixar as calças (mesmo que com dificuldade), se sente desconforto avisando com gestos ou palavras que está com vontade de fazer xixi ou coco”, relata.
O próximo passo, segundo a profissional, é explicar como funciona o penico e como usar o vaso sanitário. “Os pais podem começar comprando um penico e explicar para que serve, brincar com ela, explorando e familiarizando-se com o objeto. Logo após, leve-o para o banheiro e, sempre que possível, passe as eliminações da criança para o vaso, na sua presença, conversando e explicando sobre tudo o que acontece”, comenta.
Quanto às temperaturas mais quentes, Catiéli afirma que isso auxilia no processo. “Entre as dicas mais criativas e didáticas, vale dar tchau para o coco, ter um personagem (um ursinho, ou confeccionado pelos pais) para dramatizar a largada das fraldas ou, até mesmo, jogar purpurina no banheiro toda vez que obtiver sucesso nas tentativas”, fala.
É importante que os pais não briguem ou castiguem caso acidentes ocorram. “Punições podem prejudicar o aprendizado da criança. Com calma e tranquilidade, a criança compreende que escapes acontecem, mas é capaz de fazer o uso normal do banheiro. O que não pode acontecer é regredir, ou seja, colocar as fraldas após sua retirada. Elogie cada conquista que ela realizar”, aponta.
Catiéli destaca que o controle do xixi e do coco durante a noite, acontece após o controle durante o dia. “A retirada das fraldas pode acontecer quando começar a acordar com ela seca. Os pais devem evitar que a criança consuma líquidos antes de dormir e levá-la ao banheiro antes de ir para cama, e durante a noite”, relata.
A psicóloga garante que a tarefa é árdua, mas com paciência e perseverança os pais conseguem bons resultados.

Deixe sua opinião