Como evitar o xixi na cama?
Publicado em 10/07/2013

Folhinha

Foto: Divulgação/FS

Toda criança, durante seu desenvolvimento, irá fazer xixi na cama. Porém é preciso estar atento, pois quando isto se repete com frequência a criança pode estar com enurese. Para a psicóloga Catiéli Malaguez Marques, as crianças pequenas costumam, por várias vezes, acordar com o incômodo da cama molhada durante a noite. Nos primeiros anos de vida, a criança está em desenvolvimento com seu sistema urinário e deixar escapar o xixi é normal. O que não é normal é quando, por volta dos 5 ou 6 anos, a criança não adquiriu um amadurecimento e ainda não tenha o controle da urina.
Porém, quando o xixi na cama se repete por vezes seguidas os pais precisam estar atentos para a enurese, que é a criança que não consegue inibir as contrações vesicais durante o sono e não acorda para esvaziar a bexiga. “As causas da enurese noturna infantil podem ser de incidência familiar, psicológica, neurológica, problemas musculares, produção inadequada de hormônio antidiurético durante a noite, problemas na bexiga, problemas hormonais, dentre outras”, explica Catiéli.
A psicóloga salienta que a doença pode estar ligada a causas psicológicas, como a separação dos pais, nascimento de um irmãozinho e, até mesmo, a perda de um familiar. “Conforme mostram as estatísticas, para uma criança ser considerada enurética ela precisa fazer muito xixi na cama, pelo menos duas vezes por semana, durante uma média de três meses”, relata. Catiéli destaca que é importante estar atento ao não amadurecimento da criança. “Em longo prazo, as consequências tornam-se agravantes no desenvolvimento geral da criança. Os fatores de ordem psicológica, por exemplo, são aqueles na qual a criança pode tornar-se isolada, com baixa autoestima, sentindo-se diferente dos demais, influenciado diretamente na formação de sua personalidade”, pontua.
Quando ao tratamento, é lento. "Mas tem bons resultados quando há envolvimento da família, principalmente da mãe, pois é ela quem tem que fazer com que a criança sinta-se parte desse tratamento. É importante que se tenha um controle da alimentação da criança e não devem ser ingeridos líquidos horas antes do sono”, coloca. Ela acrescenta que não se deve castigar ou subestimar a criança, pois pode traumatizá-la.
As formas de evitar a enurese noturna são variadas é desgastantes, para a criança e para os outros membros da família. “Exige paciência e dedicação. Por isso, muitas vezes, é necessário uma intervenção medicamentosa e o acompanhamento de profissionais capacitados no assunto”, diz. Catiéli conta que uma das estratégias utilizadas é o painel das estrelas, marcando dia após dia as noites que não urinou durante o sono, reforçando positivamente cada conquista da criança.
Levar a criança para urinar três horas após deitar, estimula o ato de acordar com a sensação da bexiga cheia e, a cada noite completamente seca, o horário de acordar é antecipado por meia hora, até ser meia hora após deitar.

Deixe sua opinião