Tratamentos e o Centro Integrado de Oncologia e Mama de Bagé
Publicado em 21/05/2013

Folha Saúde

Foto: Divulgação/FS

A retirada dos seios, após a descoberta do gene defeituoso e da chance de desenvolver câncer de mama, pode reduzir o risco de ter o carcinoma.
Conforme explica o mastologista Mário Menna Kalil, os tratamentos são variados, depende de cada organismo e histórico familiar. Hoje, se recomenda realizar a primeira mamografia com 40 anos. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) recomenda com 50 anos. Kalil ressalta que se há familiares com a doença e riscos muito altos, pode-se fazer o primeiro exame com 35 anos e, em raras exceções e casos muito graves, com 25 anos. “A primeira estratégia é sempre realizar os exames, mamografia, ecografia e, se necessário, ressonância magnética”, pontua.

Três armas contra o câncer
Segundo Kalil, o Rio Grande do Sul tem o dobro de incidência nacional de câncer de mama. “É um dado muito preocupante. Em Bagé, já contamos com o Centro Integrado de Oncologia e Mama (CIOM) e a oncologia clínica. Em breve, teremos o serviço de radioterapia na cidade. Atualmente, atendemos cinco mil pacientes por mês”, informa. “Cerca de 60% a 70% dos pacientes precisam de radioterapia. Além disso, os pacientes devem iniciar, em 60 dias, o tratamento do câncer após diagnosticado”, acrescenta.
Para Kalil, que também coordena o CIOM, a iniciativa é pioneira em nível de Brasil.
O médico também ressalta que a cada dia são criadas drogas novas e um grande avanço na biologia está trazendo novas alternativas. “Os estudos estão avançados e poderemos ter a cura de alguns tipos de câncer em breve", reitera.
O tratamento do câncer de mama evoluiu muito nos últimos anos. Não faz muito tempo, quando surgia um tumor, o cirurgião retirava a mama inteirinha, o músculo que ficava abaixo dela, os gânglios todos da região axilar e a pele ficava ondulada sobre o gradeado costal, possibilitando distinguir com clareza a anatomia das costelas.
Atualmente, as cirurgias costumam ser muito econômicas, porque os diagnósticos são cada vez mais precoces. Com frequência, o que se faz necessário é a retirada de pequenos fragmentos da mama e de alguns gânglios debaixo do braço. Na grande maioria dos casos, a mutilação do passado tornou-se coisa obsoleta.

Centro Integrado de Oncologia e Mama será inaugurado dia 13 de junho
Na última sexta-feira, foi realizada uma reunião com o grupo constituído pelo município para preparar uma ação estratégica, para a prevenção, educação e detecção precoce do câncer.
Mário Mena Kalil diz que é a primeira vez que é criado um grupo para avaliar os investimentos de busca para o trabalho da oncologia na cidade. “Estamos montando um serviço com a parceria público-privada para desenvolver mecanismos para que Bagé seja uma referência em todo o país no tratamento de todos os tipos de câncer”, diz.
O apoio da empresária Zuleica Torrealba no tratamento de câncer foi de grande importância. "Essa ação colocará Bagé em um patamar superior e transformará o CIOM num centro de referência para o país", explica o prefeito Luis Eduardo Dudu Colombo. “Estamos formando uma grande rede, com órgãos, entidades e universidades para desenvolver ações de prevenção do câncer na zona urbana e rural”, informa.
Localizado entre o prédio ao lado do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), o CIOM vai ampliar o atendimento já existente em Bagé.

Deixe sua opinião