Terapias para curar a LER
Publicado em 18/06/2013

Folha Saúde

Foto: Reprodução/FS

Shiatsu e Quiropraxia são alternativas

A lesão por esforço repetitivo (LER) ataca os músculos e o sistema nervoso, ocasionando o aparecimento de lesões pela repetição de movimentos. Para tratar essa doença, uma das opções não medicamentosas é o Shiatsu e a Quiropraxia.
O Shiatsu é uma técnica de massagem em que pressiona-se com os dedos, palma da mão e cotovelo alguns pontos do corpo que criam nódulos, pois ficam tensos com frequência ou incham de acordo com o stress que o corpo sente. Esse cansaço pode ocorrer pela má postura ou tipo de trabalho que o paciente realiza. “Pressionando o músculo, melhora a circulação, pois oxigena a célula e a há o relaxamento”, explica o massoterapeuta e quiropraxista, Leugi Kanamori, que fez cursos no Japão e, hoje, atende em sua clínica, localizada na rua Ismael Soares, 64, sala 21.
A terapia pode ser usada em caso de LER e tendinite e tem um bom resultado no alívio das dores, já que, na maioria das vezes, elas são causadas por tensão no pescoço, ombros e braços. Sendo assim, quando há a irrigação correta nessas partes do corpo e, consequentemente, o relaxamento, também há o alívio. “A LER pode ser ocasionada por uma disfunção servical e lombar que começa com a má postura”, comenta o massoterapeuta.
Justamente por se tratar de má postura, Kanamori aconselha a quem sofre com a LER ou tendinite a não dormir de barriga para baixo, pois a posição causa o deslocamento da coluna vertebral e a compreensão dos nervos. “Alguns nervos que saem da coluna vão para as mãos, por isso pode agravar as dores de quem já tem um problema”, diz.  Além disso, a forma de descansar à noite também influência no sono, que se torna mais agitado, porque o corpo não relaxa o quanto deveria. “Se não há descanso completo, o sangue circula com mais dificuldade, podendo causar nódulos em determinados locais”, explica.
Outro fator que também influência nas doenças é a alimentação inadequada. “Maus hábitos alimentares, aliado ao sedentarismo, stress e trabalho, podem causar problemas de saúde”. O profissional conta que quando estudou Quiropraxia no Japão, os seus professores chamavam atenção para as causas das doenças, que podem estar no modo como as pessoas se alimentam, vivem e dormem. “O único jeito de fazer alguém melhorar é ensinar o que comer, o que não comer e a postura para que possa melhorar a sua qualidade de vida”, argumenta. Ele acrescenta que tratar um paciente sem levar em conta as causas das dores pode não resultar em melhoras efetivas no quadro. Portanto, o tratamento também exige fazer um acompanhamento, levando em conta uma dieta e exercícios físicos, já que o terapeuta auxilia na recuperação e não cura.
O conselho também vai para os que sofrem com a tendinite. O massoterapeuta lembra que o cérebro e o olhos dependem diretamente do fígado; pensando nisso, fritura, carne de porco, chocolate, açúcar e refrigerante não são indicados para quem tem tendinite. “Quer melhorar da tendinite? Comece pelo fígado”, indica.
A duração do tratamento depende das funções que o paciente exerce, da origem do problema, se ele é oriundo da coluna, do stress, de disfunções hormonais ou se for ligado a problemas nos ou aos órgãos. “Na maioria dos casos, uma sessão alivia 50% da dor, duas ou três ate 70%. Já o tempo sem sentir dor depende do trabalho, da idade e de quanto tempo está com a doença”, conta. O quiropraxista exemplifica que se ele for um digitador vai precisar usar as mãos com frequência, o que cansa o músculo, mas independente disso, o profissional informa que as sessões de Shiatsu trazem alívio. “As dores ficam controladas e mantém a qualidade de vida”, garante.
 
Quiropraxia
A Quiropraxia é uma técnica que manipula, com as mãos, as articulações da coluna vertebral, com o objetivo de equilibrar o músculo esquelético, causando a orientação correta da postura e reduzindo as dores e tensões, restaurando o movimento natural e correto. Essa terapia é indicada para quem tem LER e tendinite em estágios avançados, quando a pressão nos pontos dos braços, antebraço e mãos podem ser interpretada pelo corpo como uma agressão e não um tratamento, podendo ocasionar a piora da dor.
O desalinhamento das vértebras lombares também podem acarretar dor no ciático e problemas no funcionamento da bexiga e intestino. O não alinhamento das vértebras cervicais causam dores de cabeça e, consequentemente, insônia. Apesar do tratamento, o profissional enfatiza que as doenças têm outras causas. “O esqueleto nunca é 100% culpado. Os hábitos alimentares também causam as doenças”, conclui.

Deixe sua opinião