No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Semana Mundial do Aleitamento Materno
Publicado em 01/08/2019

Folha Saúde

Foto: Reprodução/FS

Considerada uma forma eficaz para a promoção da amamentação, a Semana Mundial de Aleitamento Materno (SMAM) acontece em 120 países e, oficialmente, é celebrada de 1º a 7 de agosto de cada ano.

Um pouco da história da SMAM

A Semana Mundial de Aleitamento Materno faz parte de uma história de todo o mundo focada na sobrevivência, proteção e desenvolvimento da criança. Desde sua criação, em 1948, a Organização Mundial da Saúde (OMS) tem, entre suas ações, as voltadas à saúde da criança, devido a uma grande preocupação com a mortalidade infantil.
Segundo informações disponibilizadas pela médica pediatra, chefe da UTI Neonatal da Santa Casa de Caridade de Bagé, Cledinara Salazar, em 1990, após encontro organizado pela OMS e Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), um documento chamado “Declaração de Innocenti”, adotado pelas organizações governamentais e não governamentais, apresentou alguns objetivos operacionais para o aleitamento materno, entre eles, estabelecer um comitê nacional de coordenação da amamentação e implementar os “10 passos para o sucesso da amamentação” em todas as maternidades.
Com o objetivo de seguir os compromissos assumidos pelos países com a assinatura  do documento, foi fundada, em 1991, a Aliança Mundial de Ação pró-Amamentação (WABA, sigla em inglês).  Essa organização criou no ano de 1992 a Semana Mundial de Aleitamento Materno, para promover as metas da “Declaração de Innocenti”.
A WABA define, a cada ano, o tema a ser trabalhado na semana, lançando materiais que são traduzidos em 14 idiomas. Entretanto, a data e o tema podem ser adaptados em cada país, a fim de que seja obtido mais e melhores resultados do evento.
No Brasil, o Ministério da Saúde coordena a Semana Mundial de Aleitamento Materno desde 1999. É responsável pela adaptação do tema para o nosso país e elaboração e distribuição de cartaz e folder. Tem o apoio de organismos internacionais, secretarias de saúde estaduais e municipais, rede brasileira de bancos de leite humano, hospitais amigos da criança, sociedades de classe e ONGs.

Tema da campanha 2019: “Capacite os pais e permita a amamentação agora e no futuro”

Conforme explicita Cledinara Salazar, os objetivos da SMAM, em 2019, são:
- Enfatizar a importância do envolvimento de todos os familiares próximos e não somente a mãe, para um sucesso de aleitamento, exclusivo até 6 meses de vida e complementar até os 2 anos;
- Promover o empoderamento dos pais, sem distinção de gênero, uma vez que a amamentação melhora significativamente quando há a participação de todos;
- Adotar uma abordagem inclusiva que contemple pais, parceiros, famílias, locais de trabalho e comunidade, proporcionando um ambiente propício para permitir que as mães amamentem de forma otimizada.

Atividades da Unidade Materno Infantil da Santa Casa de Bagé

Além da decoração do espaço, durante a semana, os profissionais estarão usando uma camiseta alusiva a esta data. A Unidade contará, ainda, com inúmeras atividades para incentivo e promoção da amamentação.

Amamentação: ato de salvar vidas e de melhoria da saúde mundial

A amamentação é um dos melhores investimentos para salvar vidas e melhorar a saúde, o desenvolvimento social e econômico de indivíduos e nações. Embora as taxas globais de iniciação ao aleitamento materno sejam relativamente altas, e apesar das recomendações internacionais, apenas 40% de todos os bebês com menos de 6 meses são amamentados exclusivamente e 45% continuam amamentando até os 24 meses. 
Além disso, existem grandes variações regionais e nacionais nas taxas de amamentação. Aumentar a amamentação ideal de acordo com as recomendações poderia evitar mais de 823.000 mortes de crianças e 20.000 óbitos maternos a cada ano. Não amamentar está associado à menor inteligência e resulta em perdas econômicas de cerca de 302 bilhões de dólares americanos por ano. 
É necessária uma ação organizada para atingir a meta da Assembleia Mundial da Saúde (AMS) de pelo menos 50% de amamentação exclusiva durante os 6 meses até 2025. Existem muitas barreiras à amamentação ideal, sendo uma das maiores a falta de apoio no trabalho para mães e pais.
A amamentação exige um esforço de equipe. Ela também requer informação imparcial com base em evidências e uma cadeia calorosa de apoio para criar um ambiente propício que permita às mães amamentar de forma otimizada. Embora a amamentação seja de domínio da mãe, sua prática tende a melhorar com o apoio próximo do companheiro, família, local de trabalho e comunidade. 
Como a amamentação envolve a mãe e seus apoiadores mais próximos, é importante adotar uma abordagem inclusiva. A equidade de gênero é alcançada quando levamos em consideração as necessidades de todos os gêneros em relação à amamentação. Uma proteção social equânime de mães e pais pode ajudar a criar um ambiente propício para o aleitamento materno no contexto dos setores de trabalho formal e informal.

(Fonte: IBFAN - Rede Internacional em Defesa do Direito de Amamentar – International Baby Food Action Network)

Deixe sua opinião