No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Prematuro: Cuidado integral para uma vida saudável 
Publicado em 14/11/2019

Folha Saúde

Foto: Reprodução/FS

contracapa

Novembro é muito importante para a conscientização de uma grande causa: a prematuridade. O mês, que é chamado de Novembro Roxo, quer levantar debates e divulgar informações a respeito do assunto, um problema que atinge 15 milhões de crianças todos os anos ao redor do mundo. 


Sensibilização para a prematuridade

No dia 17 de novembro é celebrado o Dia Mundial da Prematuridade. Neste ano, segundo a médica pediatra, chefe da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal da Santa Casa de Bagé, Cledinara Salazar, o tema central da campanha estimula a doação de leite materno, tendo em vista que este pode salvar vidas.
De acordo com dados fornecidos pela pediatra, a cada 30 segundos, um bebê morre em consequência do nascimento antecipado. A média mundial de nascimentos de prematuros é de 10%. No Brasil, segundo o inquérito nacional sobre partos e nascimentos, feito pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e divulgado em dezembro de 2016, a taxa dos nascimentos que acontecem antes da gestação completar 37 semanas, é de 12%, quase duas vezes superior à observada nos países europeus.
Segundo o Instituto Nacional de Saúde da Mulher, da Criança e do Adolescente Fernandes Figueira (IFF/Fiocruz), no Brasil, 340 mil bebês nascem prematuros todo ano, o equivalente a 931 por dia ou a seis prematuros a cada 10 minutos. 
Ainda, conforme os dados, os estados com maior prevalência de prematuridade são Minas Gerais, Distrito Federal, São Paulo, Rio de Janeiro e Rio Grande do Sul. Os mineiros lideram o ranking, de nascimentos com 12,9% e são seguidos por São Paulo e Distrito Federal, que dividem o segundo lugar, com um percentual de 12,6% de nascidos prematuros. Na nossa região, a taxa de bebês de baixo peso oscila em torno de 11,5%, sendo que os bebês de muito baixo peso, isto é, abaixo de um quilo e meio, a taxa é de 2%.
Cledinara ressalta que o parto prematuro é a principal causa de mortalidade infantil antes dos 5 anos de idade; e o Brasil é o 10º país na lista de prematuridade. No entanto, com informação e sensibilização, é possível mudar esse cenário.
Os problemas da prematuridade vão além do baixo peso, um prematuro precisa de cuidados especiais na UTI, o que aumenta em três vezes o risco de morte e sequelas futuras para a vida adulta.

Novembro Roxo

O período é celebrado com o objetivo de:
- Lembrar o prematuro, aumentar a visibilidade sobre o assunto;
- Pensar em estratégias para diminuir a taxa de prematuridade;
- Evidenciar a importância da assistência médica adequada aos bebês e a prevenção do parto prematuro quando possível, a partir de um pré-natal completo;
- Maior atenção para as UTIs neonatais.
O parto prematuro pode, em grande parte, ser prevenido com um pré-natal adequado e iniciado precocemente. A detecção de problemas maternos, que podem desencadear o parto prematuro, deve ser feita durante as consultas de pré-natal, incluindo avaliação de exames clínico-laboratoriais. Um atendimento adequado no pré-natal já irá diminuir o número de bebês que nascem antes de 37 semanas de idade gestacional.
Em alguns casos, mesmo realizando um pré-natal adequado, o bebê pode nascer prematuro, seja por doenças maternas graves ou por problemas do próprio bebê. Nesses casos, eles devem nascer em hospitais que tenham UTI neonatal, possibilitando o cuidado adequado para esses pequenos pacientes.
O bebê prematuro caracteriza-se pela imaturidade do organismo, tornando-o mais vulnerável a determinadas doenças, bem como mais sensível a determinados fatores externos, como a luz e o ruído. Os principais problemas médicos dos recém-nascidos prematuros estão relacionados com a sua imaturidade respiratória e metabólica. A pele é também mais fina que a do recém-nascido de tempo.
Essas crianças permanecem por um longo tempo internados e, durante esse período, os pais passam por vários graus de ansiedade e de medos. Medo da perda, de sequelas e depois, próximo da alta, o medo de cuidar em casa. Portanto, além da equipe da UTI cuidar do recém-nascido prematuro, deve cuidar também da família, que irá necessitar de muito apoio e acolhimento. E progressivamente, de acordo com a evolução do bebê, ir estimulando os pais a participarem dos cuidados do dia a dia.
Para Cledinara, a experiência da prematuridade para os familiares é uma montanha-russa de emoções. Há uma luta até que o pequeno esteja em casa, finalmente nos braços dos pais. Segundo ela, todos os dias, nas UTIs Neonatais mundo afora, a saúde insiste em vencer a doença e a vida insiste em superar a morte.

“Bebês prematuros são a maior prova de que milagres acontecem, bem diante dos nossos olhos”, declara.
Mas, para tais ações, é necessário o tratamento com uma equipe multidisciplinar composta de médicos pediatras, nutricionista, assistente social, psicóloga, oftalmologista e fisioterapeuta.

Participe da campanha

Todos podem compartilhar informação e sensibilizar os demais para a causa dos bebês prematuros. O tema deste ano "Prematuro: Cuidado integral para uma vida saudável".
Há várias formas de fazer isso. Uma delas é a coleta de doações para UTIs Neonatais. Itens de higiene como fraldas, lenços umedecidos e pomadas são sempre bem-vindos pelas famílias de recém-nascidos carentes.
Deixe um espaço para decoração do Novembro Roxo. Enfeite a casa, o prédio, o refeitório da empresa. Tudo é válido! Balões, cataventos, fitas. O importante é o roxo estar presente.
Use a fitinha roxa durante o mês de novembro. Adote também as fitinhas mimosas presas por uma joaninha na roupa, para lembrar a causa dos bebês prematuros.
Dia 17 de novembro é o grande dia! Dia de mobilizar o mundo online e off-line para falar de prematuridade e parto prematuro. E vestir roxo nesse dia é uma demonstração de apoio à causa! Pais, familiares, cuidadores de prematuros e simpatizantes: vistam-se de roxo no dia 17 e compartilhe as fotos nas redes sociais, usando as hashtags #DiaMundialdaPrematuridade e #NovembroRoxo.

 

Deixe sua opinião