No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Ozonize-se
Publicado em 31/10/2019

Folha Saúde

Foto: Reprodução/FS

capa

Os benefícios da ozonioterapia para a saúde


Descubra os benefícios do tratamento com ozônio medicinal

Segundo a Associação Brasileira de Ozonioterapia (Aboz), a técnica terapêutica é uma das maiores descobertas da história. Utiliza a aplicação de uma mistura dos gases oxigênio e ozônio; ou seja, o ozônio medicinal. Usada no tratamento de um amplo número de patologias, a ozonioterapia pode ser aplicada de modo isolado e complementar. 
Com o tratamento disponível há dois meses no espaço, a fisioterapeuta Letícia Dachery explica as excelentes propriedades medicinais da prática, que nada mais é do que um oxigênio ativado e potente oxidante, responsável por eliminar qualquer tipo de vírus, bactérias, fungos, entre outros. 
A fisioterapeuta diz que, no jejum intermitente, faz o aumento da energia e que baixíssimas concentrações geram grandes resultados. Pode-se dizer, também que é um tratamento referência em vitiligo, usado em todas as doenças autoimunes. Tem grande capacidade de estimular o sistema de defesa antioxidante e reduz envelhecimento.
A Aboz explicita que há séculos o ozônio vem sendo utilizado por países desenvolvidos e tem seus benefícios comprovados por inúmeros estudos, com diversas propriedades medicinais.
Letícia Dachery ressalta que a ozonioterapia já foi testada, com sucesso, em 262 enfermidades. Para ela, o grande ponto do tratamento é reestabelecimento do estado de equilíbrio do corpo, podendo ser usado em qualquer condição médica, independente do diagnóstico. 
Pode auxiliar em vários tipos de câncer, ajudando a combater tumores e reduzindo os efeitos colaterais da radioterapia e da quimioterapia, assim como em diversos problemas circulatórios, doenças virais, como hepatite e herpes, feridas de origem vascular, arterial ou venosas, úlceras diabéticas e por insuficiência arterial, queimaduras de diversos tipos, hérnias de disco, protrusão discal e dores lombares, dores articulares decorrentes de inflamações crônicas, colites e outras inflamações intestinais crônicas, condições e doenças de idosos e imunoativação geral.

Entre os benefícios citados pela fisioterapeuta, estão:
Aumenta o metabolismo dos ácidos graxos levando ao emagrecimento;
Cessa depressão;
Libera serotonina;
A aplicação de O3 antes do treino melhora a performance, libera energia, sem radical livre;
Reduz estresse oxidativo por aumentar a síntese das três principais enzimas antioxidantes intracelulares;
Melhora qualidade de vida;
Antienvelhecimento;
Ativa o metabolismo das hemácias;
Melhora circulação e oxigenação;
Antioxidante, anti-inflamatório e antisséptico;
Aumenta o sistema imunológico;
Destrói bactérias, fungos e vírus;
Melhora a respiração e aumenta a capacidade respiratória;

A Aboz alerta para um cuidado imprescindível: Somente profissionais capacitados podem indicar a dosagem e a via correta de aplicação da ozonioterapia. Além disso, o ozônio é um gás altamente instável e nocivo se inalado, necessitando ser gerado de forma precisa com equipamentos específicos, no local do uso.
Para a organização, a principal contraindicação é deficiência da enzima Glicose-6-Fosfato Desidrogenase (G6PD), conhecida como favismo, em função do risco de hemólise. Em casos de hipertireoidismo descompensado, diabetes mellitus descompensado, hipertensão arterial severa descompensada e anemia grave, é necessário que a estabilização clínica dessas situações seja realizada previamente à aplicação da ozonioterapia.

A versatilidade do gás ozônio

Muito além da medicina, o ozônio torna-se indispensável para aplicações em diversas áreas. Considerado um dos oxidantes naturais mais potentes e também um poderoso germicida, pode ser utilizado em:
•    Processos industriais
•    Tratamento de águas
•    Produção de alimentos
•    Tratamentos estéticos
•    Produção de gases e efluentes

Além disso, a ozonioterapia é importante na estética, facial, corporal e capilar. Entre os benefícios do procedimento estão: a melhora da celulite, com resultado imediato; estimula enzimas antioxidantes e gera longevidade e, ainda, aumenta o metabolismo de faxina cerebral.
É usado, também, para tratar acne, melasma, linhas de expressão, papada, flacidez tissular. Com ação cicatrizante, é recomendado em pós-operatórios, feridas abertas, erisipela e pé diabético.
As aplicações são de no mínimo 10 e no máximo 20 sessões. Letícia enfatiza que é necessário realizar uma pausa de 30 dias. Caso seja necessário seguir aplicando, recomenda-se intervalos quinzenais. Em caso de reincidência, a indicação é fazer uma vez na semana a aplicação. Todos os aparelhos são potencializados com uso de ozônio.

 

Deixe sua opinião