Nova lei e o tratamento de Bagé
Publicado em 06/11/2012

Folha Saúde

Foto: -

Dr. Dionísio explica tratamentos

A reportagem do caderno FOLHA SAÚDE procurou o médico responsável pela Unidade de tratamento de Câncer, Unacon Bagé, Dionísio Becker, que explicou sobre a nova lei e também contou como funciona o tratamento em Bagé.
A Unacon realiza o tratamento quimioterápico, encaminha para cirurgias e também para radioterapia fora de domicílio, destaca o médico. “Agora em breve teremos a radioterapia; a luta está grande e o projeto já está em andamento”, enfatiza.
Becker conta que em Bagé está lei já está sendo cumprida mesmo sem ser sancionada, os tratamentos no município são realizados em até 30 dias. “Tenho orgulho em dizer que nossos pacientes em 30 dias já estão fazendo todo o tratamento, pois quanto mais cedo começar o trabalho, melhor, aumentam as chances de cura”, destaca.
A unidade trata hoje de 324 pacientes, sendo 131 câncer de mama e 101 câncer de próstata. “O tratamento aqui é de quimioterapia e hormônio terapia, quando há necessidade de cirurgia ou radioterapia são encaminhados precocemente para melhoria da qualidade e também aumento da cura”, explica.
Os diversos apoios recebidos na unidade também contam muito, enfoca o médico radio-oncologista. “Procuramos sempre deixar o tratamento menos doloroso e temos muitos apoios, temos um grupo de Reiki que vem uma vez por semana, temos também a nutricionista ,Tamara Karam, que vem e auxilia os pacientes na questão da alimentação, há também assistentes sócias, psicólogas, fisioterapia na clínica do Médico Mário Menna Kalil, internet Wifi gratuita no local e um cabeleireiro que ajuda a lidar no banco de perucas”, conta.
Becker informa que todos são bem-vindos na instituição, quem puder ajudar com sua profissão e cuidado será bem-vindo. “Este ano criamos um banco de perucas, são emprestadas para deixar as pessoas em tratamento com a autoestima mais elevada, no inverno doamos gorros, chapéus e mantas", informa.
A ideia do médico é criar grupos de trabalho para dividir experiências e também auxiliar no tratamento. “Sei que os grupos trocam muito entre si e acabam trazendo muito resultado”, declara.
Finalizando, Dionísio Becker pede para que todos procurem o médico sempre que sentirem alguma anomalia. “Se tiver dor, nódulos, sangramentos e emagrecimento sem causa aparente, estado febril prolongado, procure os postos de saúde, quanto antes começar o tratamento, as chances de cura são muito maiores”, encerra o radio-oncologista.
A nova lei de tratamento foi de iniciativa do ex-senador, Osmar Dias (PDT-PR), a proposta foi ampliada na Câmara dos Deputados para fixar o prazo máximo do tratamento. A relatora, senadora Ana Amélia (PP-RS), lembra no seu parecer que a demora em começar o tratamento é o principal problema na terapêutica de câncer no Brasil. Ana Amélia reconhece que a simples conversão da lei não resultará no fim das mortes por câncer no Brasil, mas que representará um marco histórico para a terapêutica oncológica no país.

Deixe sua opinião