No Ar
Folha do Sul
Web Rádio

Mitos e verdades sobre alimentação vegana
Publicado em 09/05/2019

Folha Saúde

Foto: Alina Souza / Especial FS

Vegetarianismo e veganismo são a mesma coisa? Alimentação vegana é benéfica à saúde? As dietas veganas provocam algum tipo de distúrbio alimentar? Para responder estas e outras perguntas sobre este tipo de alimentação, pedimos ajuda para a médica nutróloga Karen Obino e para a nutricionista Renata Meirelles.

Entenda o veganismo

A nutróloga Karen Obino explica que o vegetarianismo é um regime alimentar em que se exclui carnes. Pode existir o ovolactovegetarianismo, em que ovos e laticínios são incluídos; lactovegetarianismo, os laticínios apenas são incluídos; ovovegetarianismo, que utliza ovos em sua alimentação. E existe o vegetarianismo estrito, que também pode ser chamado de veganismo, em que não se inclui nenhum tipo de produto de origem animal, até mel é excluído, afinal, é produzido pela abelha.
A nutricionista Renata Meirelles complementa esse conceito, citando a Sociedade Vegetariana Brasileira, em que vegano é a pessoa vegetariana estrita que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã e seda, assim como produtos testados em animais.
Segundo elas, este tipo de alimentação é benéfica à saúde quando bem planejada. No geral, quando se exclui alimentos de origem animal, é necessário acrescentar alimentos diferentes e, por isso, alguns estudos mostram que isso pode trazer resultados benéficos na prevenção e no tratamento de diversas doenças crônico-degenerativas não transmissíveis, como diabetes, infartos, derrames e câncer.
No entanto, Karen alerta que é preciso deixar claro que existem riscos de carências nutricionais, como falta de vitaminas que só existem em quantidades satisfatórias em alimentos de origem animal.
Renata fala em estudos populacionais que comparam grupos vegetarianos e não vegetarianos com estilo de vida similar mostram que os vegetarianos têm menor incidência de todas as doenças crônicas não transmissíveis, como dislipidemias (alteração dos lipídios no sangue), hipertensão, cardiopatia isquêmica (infarto agudo do miocárdio), diabetes, diversos tipos de câncer e obesidade.
De acordo com a nutricionista, dentre as modificações orgânicas encontradas em vegetarianos, as alterações relacionadas à defesa antioxidante são marcantes e fundamentais para a compreensão de diversos resultados encontrados em estudos populacionais.
A dieta vegetariana pode levar ao emagrecimento, à manutenção do peso e à obesidade. Tudo depende da elaboração da dieta, do estilo de vida e da composição metabólica da pessoa.
"Um vegano pode ser tão pouco saudável comendo vegetais de forma errada (fritos, misturados à massas, etc) quanto um não vegetariano que praticamente só come hambúrgueres e lanches", define a profissional.
“Uma dieta vegana à base de refinados, como pães brancos e bolachas, sucos e bebidas adoçadas estão longe de ser uma alimentação saudável. Não é preciso tornar exclusivamente vegetariano para ser mais saudável, mas reduzir a dependência de alimentos de origem animal e principalmente evitar o risco de gordura”, explica Renata.

Nutrientes

Renata Meirelles aprofunda a questão dos nutrientes em cada tipo de dieta vegetariana e o que se deve cuidar para não ter nenhum tipo de carência.
As dietas ovolacto e lactovegetariana, por exemplo, fornecem todos os nutrientes necessários ao organismo humano. Os nutrientes que exigem atenção na prescrição do cardápio para o ovolactovegetariano são ferro, zinco e ômega 3 (encontrados nos peixes).
A dieta vegetariana estrita não apresenta fontes nutricionais de vitamina B12 (vitamina que é encontrada em alimentos de origem animal), que deve ser obtida por meio de alimentos enriquecidos ou suplementos. Deve-se atentar também para o cálcio.
Para melhorar a biodisponibilidade do ferro da dieta, recomendamos que sempre se associe a ela o consumo de alimentos ricos em vitamina C. Na dieta vegetariana estrita, as fontes de cálcio devem ser priorizadas. Como a carne contém zinco de boa absorção, há o temor de que, ao retirá-la da dieta, possa haver deficiência. Mas ele está bastante presente em grãos como o feijão.

Mitos e verdades

Veganos perdem peso com facilidade?
Karen – Verdade. Pode ocorrer perda de peso quando o praticante ovolacto se torna vegano.  As fontes alimentares de origem animal têm mais gordura e são mais disponíveis no nosso meio.  Então, o praticamente começa a preparar mais os alimentos em casa, aumenta a ingestão de vegetais, que têm menos calorias e trazem saciedade. Mas isso não ocorre com todos os pacientes.

Crianças não podem ser vegetarianas?
Renata – Mito. A dieta vegetariana bem planejada é adequada nutricionalmente para crianças. Essas crianças devem ser suplementadas com ferro, assim como as crianças não vegetarianas, já que essa é uma recomendação, tanto da Organização Mundial da Saúde quanto do Ministério da Saúde. Os pais devem estar cientes da importância de identificar boas fontes de cálcio, ferro, zinco, ômega 3, vitamina B12 e vitamina D e, diante da impossibilidade de atingir as necessidades nutricionais relativas à idade da criança, a suplementação medicamentosa será necessária.

As dietas veganas provocam algum tipo de distúrbio alimentar?
Renata- Mito. O vegetarianismo não leva à anorexia ou a qualquer outro distúrbio alimentar, mas alguns anoréxicos podem aproveitar o desconhecimento da população e usar a desculpa do vegetarianismo para esconder a doença no meio social.

Os nossos antepassados comiam carne, por isso as dietas veganas não são naturais?
Karen – Mito. Seres humanos são classificados como mamíferos onívoros, ou seja, capazes de se alimentar de animais e vegetais, como os porcos e os ratos, por exemplo. Nosso sistema digestivo é adaptado para digerir e processar esses alimentos. O vegetarianismo é uma questão de escolha.

A dieta dos veganos não é ideal para praticantes de atividades físicas?
Renata – Mito. Praticantes de atividade física podem ser vegetarianos também. Essa dieta cobre as necessidades energéticas e proteicas de um atleta, desde que os alimentos sejam selecionados e gerenciados da maneira certa.  As necessidades de proteína de um paciente que visa o ganho de massa muscular podem ser ajustadas utilizando-se as fontes de proteína vegetal.

Os vegetarianos correm risco de sofrerem com carência de vitaminas?
Karen – Verdade. Existem riscos. Em veganos, por mais saudável que a alimentação seja, sempre é necessária a suplementação de vitamina B12. Todo o paciente vegetariano deve ter acompanhamento médico especializado pelo perigo de carências nutricionais.

Deixe sua opinião