Doenças do coração e seus cuidados
Publicado em 11/06/2013

Folha Saúde

Foto: -

Vargas explica sobre doenças cardíacas

A principal doença que afeta diretamente o coração é a Hipertensão Arterial. Há ainda outras alterações importantes que devem ser cuidadas.
Segundo o médico cardiologista Luiz Alberto Vargas, há 45 anos, quando ele ainda estudava medicina, os níveis aceitos para a Pressão Arterial eram de 160 sistólica (máxima) e 100 diastólica (mínima). “O stress ainda não fazia parte da vida do cidadão e então a pressão era mais baixa. Hoje, o stress é um fator presente na vida, o que eleva o risco de hipertensão arterial”, explica.
Vargas comenta que hoje os níveis toleráveis diminuíram, sendo 140 sistólica (máxima) e 85 diastólica (mínima). “Há uns 30 anos, passou a se valorizar os fatores de risco que elevam a hipertensão, como alimentação, herança familiar, colesterol e diabetes”, destaca.
Há uns 10 anos, acrescenta o médico, passou a ser valorizada a síndrome metabólica. “Isso corresponde ao controle adequado do diabetes, do colesterol, dos triglicerídeos, ácido úrico, ureia e função renal, aumentando assim a média de vida do paciente”, afirma Vargas.
Em 50 anos, a expectativa de vida do brasileiro subiu de 60 para 76 anos. “Ou seja, aumentou 30% o tempo de vida. Hoje, estão se postergando as doenças degenerativas, há mais informações, há mais controle e cuidados com a saúde”, argumenta.
“O aumento da poluição também é um fator importante. Acredito que, com o tempo, devem se especializar para ter um melhor aproveitamento do oxigênio e da água, para a qualidade de vida ficar melhor”, ressalta.
Cuidados com a saúde, ingestão de medicamentos controlados e exercícios são as alternativas de cuidado mais eficazes para não ter problema com o coração.

Cirurgia cárdica pelo SUS
O provedor da Santa Casa, Luiz Alberto Vargas, enfatiza a importância que tem a cirurgia cardíaca pelo SUS em Bagé.
Ele garante que as exigências feitas pelos órgãos fiscalizadores do Sistema Único de Saúde já estão supridas. “Agora é esperar a avaliação dos profissionais e técnicos e, então, teremos cirurgias vasculares em geral feitas pelo SUS”, declara.
Vargas finaliza dizendo que já estão em fase de conclusão para final deste mês os leitos do SUS, sendo quatro para cirurgias vasculares periféricas, seis para a cardiologia e mais seis para doenças vasculares cerebrais. “Sabemos que a maioria das doenças são ligadas ao coração, então priorizamos os leitos para esses pacientes”, encerra.

Riscos para o coração
- Hipertensão arterial
- Má alimentação
- Vida sedentária
- Herança familiar
- Diabetes
- Alterações eletrocardiográficas prévias
- Dislepdemia (colesterol e triglicerídeos com altos fatores)
- Obesidade
- Stress

Deixe sua opinião